sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Hans Broos

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Organizado por  Angelina Wittmann

Nascimento:

Hans Broos nasceu em Gross-Lomnitz, atualmente território eslovaco, em 10 de outubro de 1921. Atualmente essa cidade é conhecida pelo nome Velka Lomnica.
As montanhas que tanto amava - Velka Lomnica
Velka Lomnica - Eslováquia


Seu pai, de família alemã, era mestre marceneiro e foi com quem teve os primeiros contatos com o desenhoDesenhava muito bemIniciou a faculdade de arquitetura na Universidade de Praga  Checoslováquia, mas se mudou para Braunschweig (Brunswick – inglês) - Alemanha, quando começou a guerra. Em Braunschweig, concluiu o curso de engenheiro-arquiteto na Universidade Técnica de Braunschweig, em 1948.
Os três irmãos Broos: Mathias, Hans, e Adalbert

Universidade de Praga
“Nasci na Áustria (Alusão ao Império austro Húngaro), de família alemã. Entrei na universidade em Praga, onde dei os meus primeiros passos como aluno de arquitetura. Terminei o curso na Alemanha por causa da guerra, e em Braunschweig colaborei na reconstrução da cidade.” Hans Broos
Nesta mesma universidade é nomeado assistente do Professor Friedrich Wilhelm Kräemer, na cátedra de Grandes Composições. Neste período, Broos participa da elaboração de projetos culturais, industriais, públicos voltados para o Urbanismo, mas especificamente em obras de reconstrução de prédios históricos e praças na cidade de Braunschweig.
Friedrich Wilhelm Kraemer im Gespräch mit L.
Mies van der Rohe | Chicago | 1955 ©
 Department Architektur TU Braunschweig.
Braunschweig
“Quem queria chegar à faculdade de arquitetura tinha que aprender profissões práticas, como carpinteiro e pedreiro. Além disso, tínhamos de viajar e conhecer a Europa: a torre de Pisa, na Itália, a Grécia. O ensino era mais prático. O que me ajudou muito no Brasil foi justamente o fato de que, como arquiteto e engenheiro, eu sabia fazer alvenaria, fundações etc.” Hans Broos
Em 1949, formado, muda-se para Karlsruhe onde começa a trabalhar como assistente do professor Egon Eiermann na Universidade Técnica da cidade. O arquiteto Hans Broos chamava Eiermann de “o homem da reconstrução da Alemanha”, pós guerra. Participou, então, de diversos projetos e obras de reconstrução em várias cidades alemãs, principalmente, em Berlim. Entre eles: Rádio emissora de Stuttgart (1951), o Laboratório Ciba (1952) e a reconstrução de Lübeck, onde teve seu próprio escritório.
Professor  Egon Eiermann  - “o homem da reconstrução da Alemanha”

Egon Eiermann
Trabalho do arquiteto Broos - no Escritório de Eiermann

Karlsrihe
Le Corbusier
O contato forçoso com a arquitetura histórica através da recuperação das cidades alemãs, período pós guerra, instigou Broos a observar sua produção arquitetônica. Buscou criar algo novo que destoasse desta tipologia e linguagem e que também, tivesse a alma da contemporaneidade - presente, atendendo a nova realidade do homem pós guerra e suas aspirações.
Sua contribuição, para o resgate de cidades demolidas no período pós guerra foi imensurável, mas desafiante, no sentido de definir uma nova linguagem e uso de novos materiais - contemporâneos, para a época. Segundos suas próprias palavras: “Não queria mais só olhar para o passado, mas para o futuro.”
Com a anuência do Professor Eiermann, convidou Le Corbusier para proferir uma palestra na Universidade Karlsruhe.
“O professor que, para mim, foi o responsável pela intensificação do pensamento, da imaginação, nem era arquiteto: chamava-se Egon Eiermann e trabalhava para a UFA, produtora de filmes em Berlim. Cheguei a ser assistente de Eiermann - fizemos a reconstrução de um velho templo em Berlim. Um dia, ele me perguntou: “O que vamos dizer hoje aos alunos?”. Eu lhe disse que falasse sobre Le Corbusier. Como ele não conhecia Corbusier, enviou-me à Suíça para que eu trouxesse as novidades.”Hans Broos
Muitos dos nomes da arquitetura alemã, como Walter GropiusMies van der Rohe, Marcel Breuer, Konrad Waschmann já haviam emigrado para os Estados Unidos. Também, como muitos outros jovens arquitetos europeus como: Adolf Franz Heep, Lina Bo Bardi, Victor Reif, o jovem arquiteto Hans Broos, que já tinha conhecimento da produção arquitetônica brasileira e o uso do novo material: concreto armado, decide vir morar no Brasil. 
Hans Broos tinha a opinião que este jovem país apresentava ambiente ideal para novas idéias, nova arquitetura.
“As notícias sobre a arquitetura brasileira eram tão convincentes que resolvi conhecer de perto essas experiências” – Hans Broos.
Quando fez este comentário, fez alusão ao catálogo da exposição Brazil Builds, do MoMA – Museu de Arte Moderna de Nova York, realizada em 1943, no qual apresentava a tradicional e a nova arquitetura brasileira, através da ilustração do edifício-sede do antigo Ministério de Educação e Saúde (1937-1942), do arquiteto e urbanista Lúcio Costa e sua equipe, o marco precursor desta arquitetura. 
Curiosidade: Projeto estrutural do Edifício do Ministério da Educação e saúde foi projeto do Engenheiro blumenauense Emil Baumgart - que trouxe o concreto armado para o Brasil e é neto do pioneiro Emil Odebrecht. Emil Odebrecht abriu estradas e caminhos no interior de Santa Catarina no Século XIX.
“Na época em que comecei, a grande inovação da tecnologia foi a passagem da pedra para o concreto. Não existia igreja ou capela que não fosse de pedra, se possível de pedra natural. Até que houve a descoberta de materiais resistentes, descobertos pela mistura da cal. Conhecia-se o cimento, e com adição de óleo de baleia ele fica mais resistente. Mas na minha época houve justamente a luta para esse novo material - o concreto. Le Corbusier aplicou isso, mas estava praticamente na mesma situação dramática que eu. Cheguei ao Brasil justamente na hora em que o concreto era novo, praticamente pronto para ser aproveitado.” Hans Broos
No Brasil

Em 1954, com 33 anos de idade, Hans Broos viaja para o sul do Brasil, e se instala em Blumenau, onde começa a atuar como arquiteto e desenvolve intensa atividade profissional. Assina diversos projetos e obras na região.
Blumenau - Década de 50
Blumenau
“A Europa é pequena e na época era comum que os países estivessem em guerra. Não existiu geração que não tenha passado pela guerra. E pensei comigo: em vez de esperar a próxima guerra, vou conhecer o mundo. Então cheguei ao Brasil.” Hans Broos
Hans Broos é aconselhado por Rivadávia Wollstein, blumenauense e professor na Universidade do Brasil, a transferir-se para o Rio de Janeiro (na época – capital do Brasil). Hans Broos assinou o projeto da casa de Rivadávia e a visitamos, mas não tivemos autorização para fotografar. 
Após este momento, o arquiteto iniciou o processo de convalidação de seu diploma, na Faculdade Nacional de Arquitetura (atual Universidade Federal do Rio de Janeiro) daquela Universidade, para que, então pudesse realmente atuar efetivamente como Arquiteto deste país. Em seu trabalho de convalidação estudou a arquitetura dos açorianos no litoral catarinense que tinha originalmente como Título: “Açorianos”. Foi inicialmente publicado um texto totalmente datilografado, num total de 40 exemplares. Trabalho executado por uma senhora da cidade de Blumenau, com fotos e ilustrações de Broos. 
O livroConstruções Antigas em Santa Catarina (Editora Cultura e Movimento, Fundação Cultural de Blumenau e Editora da UFSC) foi uma reedição daquele texto original, reescrito e revisado pelo jornalista Orlando Maretti e publicado no segundo semestre de 2002. Hans Broos narra a história da confecção da primeira edição. O arquiteto não ficou com nenhum exemplar somente em 1995, segundo Maretti, é que o arquiteto, em visita a uma biblioteca de São Paulo, pode reaver um exemplar daquela edição datilografada. Maretti procurou respeitar o estilo do autor usado na primeira edição, mas atualizou a linguagem.

No Rio de Janeiro...palavras do Arquiteto:
“Foram dois ou três anos. Fui educado por jesuítas e franciscanos e quando cheguei ao Brasil procurei esse mesmo tipo de organização religiosa. Encontrei no Rio de Janeiro Dom Lucas Mayerhofer, o grande reconstrutor das missões jesuíticas do Sul e fui assistente dele. Ele sabia que eu era formado, me convidou para dar aula.” Hans Broos
De 1953 à 1957 atua como assistente do professor Lucas Mayerhofer, com quem colabora no estudo e restauração das ruínas das Missões Jesuíticas no Rio Grande do Sul. Segundo Broos, foi neste período, que pode conhecer muitos arquitetos brasileiros. A Faculdade Nacional de Arquitetura foi o principal centro de formação de arquitetura do país até a década de 1950 e recebia alunos de todo o Brasil. Neste período, foi importante para sua experiência, por que lhe proporcionou uma vasta rede de contatos e a oportunidade de elaborar projetos em diversas regiões do país
Missões Jesuíticas


Residência do arquiteto localizada à Rua Viriato Correa nº 99 e 
Rua Oscar de Almeida nº 486, no Jardim Morumbi

Em 1968, Hans Broos  estabeleceu-se definitivamente na cidade de São Paulo. Sua casa no bairro do Morumbi, um dos seus mais belos projetos em concreto e vidro e foi construída no período 1970/78 em um terreno de acentuado declive -seus preferidos para criar. Seus jardins foram projetados e executados por seu parceiro em diversos projetos, e amigo, o paisagista Roberto Burle Marx. Somente nos anos finais de sua atividade, o arquiteto concentrou seu trabalho à residência, que fica na parte alta do terreno e tem entrada pela rua Oscar de Almeida. Durante muitos anos a empresa Hans Broos Escritório de Arquitetura funcionou numa casa próxima a ponte Morumbi.

Broos e o paisagista  Roberto Burle Marx
“O ensino hoje é preparativo para acompanhar a evolução tecnológica e um símbolo disso é o computador, que não pensa. Esqueceram que o arquiteto, no passado tinha, que fazer trabalhos manuais. Temos que engolir esse passado para conhecer seu valor, e assim enfrentar o presente.” Hans Broos
Produção Arquitetônica e Urbanística
“Uma das primeiras obras que me deram foi a igreja de São Bonifácio, na Vila Mariana, em São Paulo. Fui convidado para fazer o desenho do templo da comunidade alemã de São Paulo. Depois de conhecer o terreno, desenhei por toda uma noite. Três dias depois chegou a notícia de que eu havia ganho a concorrência. Uma série de projetos estavam concorrendo, fui o último a apresentar e ganhei. Meu croqui é igual à igreja como foi executada, de concreto. Foi uma revolução. As pessoas diziam: “Esse alemão propôs uma igreja de concreto, imagine o desastre”. Não sei de que forma intercedeu em meu favor o então cardeal arcebispo Dom Agnelo Rossi. Acabei ficando muito próximo dele.” Hans Broos
Em suas últimas palavras conosco falou muito sobre D. Agnelo Rossi. Jamais o esqueceu e tornaram-se amigos. Chamou tanto a nossa atenção que pesquisamos sobre este religioso - no final desta postagem. 
Igreja de São Bonifácio – São Paulo
“Houve outro episódio interessante. Como a igreja era de concreto, todos tinham medo da vibração. Já estavam prontas a plataforma principal e duas paredes laterais, quando procurei um engenheiro acústico para resolver o problema. E me indicaram o engenheiro Paulo Maluf. Ele disse: “Isso precisa de Eucatex”. Eu respondi que não era possível, pois parte do concreto tem um alto-relevo realizado com painéis plásticos. Mas ele insistiu. Então propus uma aposta: disse que inventaria algo que fizesse funcionar a acústica. Ele topou. Lembrei minhas viagens para a Grécia, onde os teatros são de mármore e embaixo é oco, e a acústica é perfeita. Então construí na igreja um teto de duas camadas e fiz buracos em cima, a vibração passa por lá. Funcionou como nos teatros gregos.” Hans Broos
São aproximadamente 400 projetos realizados no Brasil e cerca de 100 obras construídas. Sua produção abrange obras religiosas, industriais, edifícios públicos, projetos urbanísticos e residenciais. A pesquisadora e arquiteta Karine Faufenbach organizou algumas das principais obras listadas a seguir. A pesquisa completa está melhor detalhada em sua Dissertação de Mestrado defendida em 2006, na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Comentários sobre algumas obras e atividades profissionais:
Cia Hering - Blumenau
Em Blumenau, a principal obra e a mais discutida pela crítica especializada, é a sede da Cia.Hering (1968-1972).
Em São Paulo, a obra que se destaca é a primeira igreja edificada em concreto aparente - a Paróquia de São Bonifácio (1966) Vila Mariana. A Igreja de São Bonifácio, segundo Orlando Maretti, esta igreja foi a sede da Missão Católica Alemã e talvez ainda o seja. Anexos à igreja havia três ou quatro apartamentos, um para o pároco e outros para os sacerdotes alemães de passagem pelo Brasil. O projeto recebeu o premio Rino Levi, como melhor obra do ano e foi nesta ocasião que o arquiteto recebeu o convite para trabalhar na equipe do engenheiro Paulo Maluf, por vários motivos na época, não aceitou.
“Eu sempre fiz prédios individuais, em princípio muitos mosteiros e fábricas, que, de fato, são projetos parecidos. Se o projeto de uma fábrica é bom, os operários se sentem como uma comunidade, e o mesmo ocorre em uma igreja. Quando isso não acontece, só tem briga e poeira.” Hans Broos
Malharia Tecanor, da Hering Nordeste (1978-1983), é outra obra de destaque. Construída na cidade de Paulista, na região metropolitana de Recife-PE, distinguida pelo IAB/SP com o Prêmio Anual para edifícios industriais. 
Assessorou Francisco Brennand a organizar o ateliê em Recife, onde este tinha o escritório dentro de um forno de cerâmica, inspirando Hans Broos a usar a cerâmica em vários de seus projetos, com na abadia de Santa Maria, em São Paulo (1976) e na sua casa, também em São Paulo (1987), inspirando artistas plásticos e colegas de todo o Brasil.
Participou na reformulação urbana de cidade de Olinda.
“Em Olinda, fiz urbanismo. As ruas, as partes da cidade eram adaptadas à natureza. A vista da cidade como um todo era formidável. Ao norte as coisas mais antigas, por exemplo, os mosteiros e as obras antigas de referência, como o palácio do governo, são obras de arte. Ajudei na recuperação delas, e cheguei ao interior do estado. Morei em Olinda por muito tempo.” Hans Broos
Em Olinda, ainda, trabalhou com Gilberto Freire no desenvolvimento da filosofia, palestras reuniões. Em seus arquivos, existem muitos desenhos e fotografias deste período. Em Olinda ainda, projetou um aeroporto particular para um empresário que produzia cordas para navios e no interior do estado de Pernambuco, o arquiteto assinou o projeto de uma prefeitura usando a técnica do pau-a- pique.

Projetou a fábrica da Faber-Castell – São Carlos, interior de São Paulo.

O parque industrial da Hering foi feita durante mais de 30 anos, através dos projetos de Hans Broos. O arquiteto projetou um plano diretor para a ampliação da fabrica localizado no Bairro Bom Retiro – Blumenau.






O arquiteto, ao projetar o plano diretor, projetou a ampliação fabril com diversas novas edificações, onde foi usado como material dominante, o concreto armado aparente, integradas de maneira harmoniosa com construções históricas, parte da célula inicial do parque fabril, com construções antiga, desde o ano de 1880. O conjunto prima por não interferir no meio natural, este valorizado com o projeto de paisagismo assinado por seu amigo Burle Marx e com a participação de Aziz Ab´Saber, onde a intervenção envolvia o macroambiente.




Broos, percebendo que o vale é estreito para a construção de novos conjuntos industriais, propôs construir pequenas unidades em cidades próximas e bairros próximos, como Encano, Água Verde, Ibirama, Rodeio, Indaial e Benedito Novo.
Vale da Cia Hering - Vista parcial
O Arquiteto Hans Broos também assinou o projeto das fábricas de São Paulo e de Pernambuco. O projeto não foi construído fielmente. O conjunto edificado continua em ótimo estado de conservação.

Revista Bauwelt – Maio de 2007 – Berlim
Matéria de Capa – Hans Broos e sua obra.

Texto foi fornecido por sua antiga colaboradora – arquiteta Judith Weinstock Montag com fotos de Cristiano Mascaro. Esta publicação – principal publicação especializada em Arquitetura na Alemanha dedicou 20 páginas a obra do Arquiteto Hans Broos.

Hans Broos
10/10/1921 - 23/08/2011 


No dia de seu último aniversário - 10 de outubro de 2010 - estivemos presentes
Imagens de algumas obras:
Algumas imagens atualizadas - 2013

Cia Hering  - Blumenau - Bairro Bom Retiro
Integração da Arquitetura Brutalista -  do concreto - com tipologias históricas e com o entorno natural, a partir de um conjunto harmônico, o qual reflete tempos diferentes. Resultado: uma obra de arte a partir do espaço natural e do espaço modificado pelo homem.





Detalhes que demonstram a sensibilidade  e o
cuidado do arquiteto com a natureza
Jardim suspenso - sobre o teto de uma de suas intervenções. Projeto assinado por Burle Marx
Uma das poucas obras do paisagista preservadas em sua originalidade
Escalas - Referencias a partir da perspectiva
 







Outras imagens - Históricas.

Escritório na residência - 2011 - São Paulo
Residência do Morumbi - São Paulo  - 2011


Ed Grande Hotel - Blumenau

Celesc - Florianópolis

Residência Curt Zadrosny - Blumenau

Residência do Arquiteto - São Paulo
Residência do arquiteto atualmente - Seu Desejo era de que  se transformasse em um Instituto de Pesquisa

Residência do arquiteto atualmente - Seu Desejo era de que  se transformasse em um Instituto de Pesquisa



Após ver e ouvir o vídeo, percebemos que Hans Broos cita o Arcebispo Rossi muitas vezes. Fomos buscar um pouco sobre este Arcebispo paulistano.
Um pouco sobre o Arcebispo Rossi que contratou o Arquiteto Hans Broos para fazer muitos trabalhos em São Paulo e lembrado por ele, até seus últimos dias.

Agnelo Rossi
Nasceu no dia 4 de maio de 1913 no Distrito de Joaquim Egídio da cidade de Campinas - SP e faleceu em 1995. Seus pais foram Vicenzo Rossi - Comendador da Ordem do Santo Sepulcro e Vittória Colombo. Teve um irmão somente - Miguel Rossi.
Realizou seus primeiros estudos em Valinhos - SP. Em 26 de janeiro de 1926, ingressou no Seminário Menor Diocesano Santa Maria de Campinas, onde também fez o curso de Filosofia. Em 15 de outubro de 1933, viajou para Roma, onde permaneceu 5 meses no Colégio Pio Latino-americano. Em 4 de abril de 1934, foi um dos 33 alunos fundadores do Pontífice Colégio Pio Brasileiro, no qual recebeu a matrícula N° 1. Cursou seus estudos na Teologiana Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.
Brasão Arcebispo Rossi
Sua ordenação aconteceu na presença do Cardeal Luigi Traglia, bispo auxiliar de Roma e aconteceu no dia 27 de março de 1937 na Arquibasílica de São João Latrão, em Roma.
Foi o 16° Bispo de São Paulo, 4° Arcebispo e 2° Cardeal. É considerado o maior expoente da igreja católica brasileira. Tornou-se Sercardeal-Decano do Colégio Cardinalício.
Sua vida religiosa foi intensa e sua biografia extensa. Hans Broos falou dele e sobre ele, até seus últimos momentos. Dizia que o Arcebispo Rossi compreendia a importância da Arquitetura e realmente foi um mecenas.
-----------------------------------------------------
Para ler um pouco mais sobre  Hans Broos - Imprensa local JSC - Clicar sobre: 
Jornal de Santa Catarina - 24 de agosto de 2011
Clicar sobre - para ampliar

Contribuição importante (Comentário) de um visitante do Blog, o qual preferiu não se identificar...
"...Uma perda lastimável. Um professor eterno que me ensinou muito sobre a vida! Descanse em paz Dr.Broos. 
Hans Broos nasceu em Gross-Lomnitz, Eslováquia, filho de Johann Broos e Elisabeth Mock-Broos. Ele tinha 2 irmãos, Mathias e o mais jovem que faleceu numa emboscada num trem, durante a II Guerra. As montanhas que ele se refere são a cadeia Hohe Tatra entre a Eslováquia e Polônia. Ele comentava da proximidade de sua cidade com a cidade natal do Papa João Paulo II. Não há qualquer relação com a Áustria e os instrumentos musicais do Tirol. Ele se refere muito a Áustria, porque a Eslováquia fez parte do império Austro-Húngaro, e por uma outra razão (uma longa história, que ele me contava diariamente). Havia a cunhada, esposa do Mathias, que telefonava todas as sextas-feiras. Ele tem sobrinhos na região de Munique, onde sua mãe esta sepultada. A família foi obrigada a ir para a Alemanha ocidental pelos comunistas da Tchecoslováquia. Seu bisavô lutou contra o avanço dos turcos-otomanos na Europa. Com isso, ele e outros receberam do império austro-húngaro terras em Gross-Lomnitz e Eisdorf, onde formou-se os "dorf-zipser" de língua alemã..."
Comunicação Eletrônica recebida em 10 Fevereiro de 2014
(Traduzida)

Que lindo, Maravilhoso! Em 1981, estive com Hans Broos por  4 meses, em São Paulo, Blumenau, Recife, etc - Eu nunca vou esquecê-lo. Ele ainda está vivo? Se sim, envia minhas saudações. Ele mora em Blumenau? ... H. Broos estudou Arquitetura junto minha mãe, em Praga. (...). Thomas Gruntzel, Viena, Áustria. 
Um vida... Uma obra!
Preparado para dar uma entrevista no ano de 2010 - estávamos junto.

"Hans Broos terá minha eterna admiração e respeito e quero acreditar que esteja volitando pelas montanhas de sua terra natal em contato com a natureza que tanto amava."
Sentimentos em forma de palavras...
De uma arquiteta que aprendeu a amá-lo...
 no final de sua jornada.


Leitura complementar - Clicar sobre:

--------------------------------
2012
A seguir - vídeo que nós gravamos dentro da capela do Mosteiro São Bento - Vinhedo SP. O projeto do mosteiro foi assinado pelo arquiteto Hans Broos.
Os dois Coros do C.C. 25 de Julho de Blumenau - visita ao mosteiro  Dia 27 de janeiro de 2012. Apresentação de Haleluia de Händel do Oratório "O Messias" , acompanhada pelos acordes do órgão da capela do Mosteiro São Bento com a presença do organeiro Georg Jann.

--------------------------------
Maio de 2017

Passagem da Equipe do Documentário Arquiteto Hans Broos e parte de sua obra - Blumenau SC

Esse blog pode ser acessado em todos os quadrantes do planeta e também na Eslováquia - terra natal do arquiteto Hans Broos.

A equipe, formada pelo diretor eslovaco Ladislav Kabos, ou Ladislav Kaboš, a produtora Darina Smrzová e a tradutora e formada em cinema Zuzana Bielikov, também leu a nossa postagem sobre o arquiteto Hans Broos. O que os motivou a contar sobre a obra e a vida do arquiteto que residia no Brasil.
Ladislav Kabos entrou em contato com sua conterrânea que reside no Brasil - Zuzana Bielikov e essa entrou em  contato conosco.

Correspondência eletrônica de  1° de dezembro de 2016

"Boa tarde, Angelina,Tudo bom? 

O meu nome e Zuzana Bielikova e sou da Eslovaquia. Nasci lá, e dois anos atrás mudei para Brasil onde agora vivo com o meu marido. 
Eu me formei na área de cinema e agora estou colaborando como diretor Ladislav Kabos que esta fazendo documentário sobre Hans Broos. Ele achou o seu blog onde você escreve muito sobre a comunidade Alemanha no Brasil e fala também sobre Hans Broos. Pois queremos preguntar se você gostaria de colaborar e participar no filme documentário sobre ele.
Estou disposta se você teria qualquer duvida. 
Obrigada. 
Atenciosamente, 
Zuzana Bielikova"
Ladislav Kabos, Darina Smrzová, Zuzana Bielikov e Valquíria Starke - Cia Hering

"Hans Broos - O Arquiteto de poética brutal"
" O Arquiteto Hans Broos (1921-2011)Nasceu em Velka Lomnica - na Eslováquia, foi formado no Liceu em Kezmarok em 1940. Ele não esperava que quando fosse partir para estudar arquitetura em Praga (1940-1943), e mais tarde em Braunschweigen, na Alemanha, jamais voltaria para casa." Equipe do Documentário
Conhecemos a equipe do documentário, no último dia 16 de maio de 2017 junto a uma das obras mais importantes do arquiteto - na cidade de Blumenau- a ampliação fabril da Cia Hering
Nesse momento coletaram dados para organizar o roteiro do documentário e no próximo ano, retornarão ao Brasil,  Blumenau para efetuar e filmar, com melhor equipamento, as imagens mais importantes e definitivas para o longa metragem.
Em uma conversa que tivemos com o arquiteto, em uma tarde, na sua varanda da residência do bairro Boa Vista, contou-nos que a obra da Cia Hering foi delineada a partir do estreito relacionamento dessa com a paisagem natural existente no Vale do Bom Retiro. Disse-nos que desejavam uma ampliação muito grande e se fosse assim, seria uma intervenção agressiva ao meio e à paisagem natural. Conversou com a liderança da empresa da época e sugeriu um plano qual criou as células fabris. Conseguiu isso, explicando que se levassem a fábrica junto à mão de obra - como células fabris - dispensariam o translado maior do trabalhador até à fabrica- matriz.
Vale da Cia Hering - Vista parcial
Hans Bros tinha o dom de conciliar, com harmonia e habilidade, a rusticidade e brutalidade do concreto  à paisagem natural e histórica. Conseguia conciliar a delicadeza de um jardim ao concreto dentro da linguagem brutalista.



















equipe passou praticamente todo o dia 16 de maio de 2018 na Cia Hering.
No dia 17, no período da manhã a equipe visitou outras obras de Hans Broos, entre elas, a Igreja Luterana de Itoupava Seca, onde igualmente os acompanhamos. 

No período da tarde, se deslocou até a casa que Hans Broos residiu na cidade de Blumenau até o momento que foi colocado em um asilo e  permaneceu nesse local até partir

Vista de Blumenau a partir da sacada do quarto do arquiteto - ponte de ferro Aldo Pereira de Andrade
Trabalho na frente da casa do arquiteto
Na sua casa do Bairro Boa Vista - Blumenau, o arquiteto gostava de ficar na varanda onde admirava o Rio Itajaí Açu, a montanha, o centro da cidade  e a ponte de ferro Aldo Pereira de Andrade. 
Gravaram nosso depoimento para o documentário nesse local. Era onde conversávamos com o arquiteto e também onde foi comemorado seu 89° aniversário no dia 10 de outubro de 2010. Seu último aniversário com vida.
Diretor eslovaco Ladislav Kabos
Blumenau SC - Brasil - 17 de maio de 2017.
No dia em que estivemos no local com a equipe do documentário, transcorreu tudo perfeitamente como se tivéssemos planejado os detalhes. Foi uma visita surpresa sem planos e agendamento. Tudo transcorreu bem.
Saindo da residência do arquiteto, levamos a equipe até um local, onde pudessem fazer fotografias panorâmicas do centro de Blumenau.
Blumenau SC - Brasil




 Cia Hering







Refeitório - cujo teto é o jardim suspenso de Burle Marx e o local aonde a equipe almoçou








Acesso ao jardim suspenso de Burle Marx

Jardim suspenso - projeto assinado pelo paisagista Burle Marx - teto de alguns ambientes entre eles - o refeitório



Igreja Luterana Itoupava Seca



Casa que foi de Hans Broos e sua última residência  - Blumenau

Está situada às margens do Rio Itajaí Açu e tem privilegiada vista para o rio e para a cidade.
Mapa que fizemos no ano de 2010 para as pessoas que desejavam visitá-lo.







Vista da sacada de seu quarto - Pontos focais da cidade: Ponte, catedral, "castelinho". A "aberração" à esquerda não existia, na época que frequentava sua casa. Sua construção foi aprovado na última gestão da administração pública de Blumenau.

Vista da sacada de seu quarto - Pontos focais da cidade: Ponte, catedral, "castelinho". A "aberração" à esquerda não existia, na época que frequentava sua casa. Sua construção foi aprovado na última gestão da administração pública de Blumenau.
Vista da sacada de seu quarto - Pontos focais da cidade: Ponte, catedral, "castelinho". A "aberração" à esquerda não existia, na época que frequentava sua casa. Sua construção foi aprovado na última gestão da administração pública de Blumenau.

Vista Panorâmica de Blumenau

Muito diferente daquela que Hans Broos viu pela primeira  vez. 


Encerramento do dia 17 de maio de 2017
Em 2018, retornarão ao Brasil - Blumenau e outras duas ou três cidades do país, para terminar a coleta de materiais e informações, para então, lançar o Documentário da obra e vida do arquiteto Hans Broos no mês de dezembro de 2018.

"Hans Broos - O Arquiteto de poética brutal"
Um pouco sobre Bratislava - Capital da República da Eslováquia
Bratislava  é capital da República da Eslováquia. É chamado pelos países de língua alemã de Pressburg. Está localizada no sudoeste do país, na fronteira com a Áustria e também com a HungriaA cidade, como acontece com muitas cidades alemãs e austríacas -  é cortada pelo rio Danúbio em seu curso. Sua população é de 427 mil habitantes.
Já comentamos que na Europa “Cidade desenvolvida" e economia não tem relação com o número de habitantes e com o adensamento. A qualidade de vida tem relação com cidades médias e pequenas – herança dos gregos clássico que não permitiam que uma polis tivesse uma população superior a 5 mil pessoas – número ideal para governabilidade.
Os Cárpatos, uma cordilheira famosas na Europa, começa no território da cidade que também é a sede da presidência, do parlamento e do governo eslovacos. A cidade também contém universidades, museus, teatros.

--------------------------------

Dia 27 de novembro de 2017
Correspondência eletrônica recebida

Prezados colegas e admiradores da obra de Hans Broos,
Venho através desta informá-los sobre a feliz, justa e pertinente homenagem que o CAU/SC fará ao nosso querido mestre Hans Broos:
“O Colegiado de Entidades de Arquitetura e Urbanismo - CEAU, órgão consultivo do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Santa Catarina - CAU/SC aprovou, e o plenário concedeu, a Medalha de Honra ao Mérito ao Arquiteto Hans Broos (in memoriam), pelo reconhecimento de sua obra no Brasil. A homenagem vai acontecer no dia 08/12/2017, em evento no Auditório da UFSC, em Florianópolis”.
Gostaria de convidá-los então para essa condecoração que vai acontecer no dia 08/12/2017, às 19:30, no Auditório da Reitoria da UFSC – Florianópolis/SC.
Pretendo representar todos os colegas que de alguma forma ajudaram, se interessaram ou dedicaram parte de seu precioso tempo com o mestre.
Acredito que esse evento será bastante relevante para a disseminação do legado e da obra de Hans Broos. Vou tentar divulgar o máximo possível e conto com o apoio de todos vocês.
Vamos conversando!
Parabéns ao mestre Hans Broos!
Forte abraço,
Bernardo Brasil.
Em vida, quando o Arquiteto necessitou de amparo e ajuda das classes, não as teve. Temos mais de 100 correspondências eletrotônicas guardadas abordando a necessidade pelo que passou nos seus últimos momentos de vida com solicitações de ajuda. Ele partiu dentro de um asilo - sozinho. 





















Leituras Complementares - Clicar sobre título:
Em Construção!









Nenhum comentário:

Postar um comentário