sexta-feira, 30 de março de 2018

Visita à Cidade de Treze Tílias SC - do Hotel Áustria - Ano 1999 - Um registro

Hotel - onde ficamos hospedados - Hotel Áustria - 1° hotel da cidade de Treze Tílias - cidade fundada no início de década de 1930. O edifício histórico teve sua demolição concluída no final de 2012.
Segunda foto - mostra o Hotel - como estava quando nos hospedamos em 1999.

Há muito tempo efetuamos registros de lugares, cidades e suas paisagens e práticas através de fotografias e vídeos. Na segunda metade do mês de julho de 1999, estivemos na cidade do meio oeste catarinense - Treze Tílias e tivemos a oportunidade de nos hospedarmos no primeiro hotel da cidade (construído na primeira década de sua existência) - Hotel  Áustria, construído no ano de 1948, portanto, nesse ano de 2018, completaria 80 anos de história. No antigo hotel, também, por muito tempo, foi o local da parada de ônibus intermunicipal, tipo de terminal  rodoviário e salão de festas. Era um dos pontos característicos da parte histórica da "jovem" cidade de Treze Tílias, sempre lembrando que para chegar a ter uma história de 100 anos - é necessário preservar a história de 50, 60, 70 e 80 anos. Na Áustria a história é muito mais longeva.
Escrevemos "completaria", porque o patrimônio histórico arquitetônico não está mais na paisagem de Treze Tílias. Nem teve a chance de completar 80 anos. 
No ano de 2010, a Prefeitura Municipal de Treze Tílias autorizou sua demolição, que iniciou no dia 17 de maio de 2011 e foi concluída no ano de 2012. Mesmo com parecer contrário à demolição, por parte da Fundação Catarinense de Cultura - FCC, não foi o suficiente para manter o edifício histórico na paisagem na cidade fundada por austríacos no início da década de 1930.
Após esse período de nossa estada em Treze Tílias, ao revermos as imagens - observamos que a arquitetura do histórico hotel é original dos pioneiros austríacos sob o aspecto da volumetria - com características da região alpina do Tirol austríaco. Os pioneiros construíram o hotel com o material que possuíam no local em abundância e barato - a madeira. 
Imagem do Google - Aspecto decadente
















Interior - imagem retirada de nosso vídeo



Demolição - ano de 2012


O hotel possuía 15 quartos - Demolição - ano de 2012
Andreas Thaler














A cidade foi fundada pelo austríaco - ex ministro da agricultura da Áustria -  Andreas Thaler - junto com um grupo de compatriotas seus, que chegaram à região, no início da década de 1930.
Históricamente, Treze Tílias foi fundada no dia 13 de outubro de 1933. 
A imigração aconteceu principalmente entre os anos de 1933 e 1937, composta de pessoas oriundas dos estados do Tirol, Vorarlberg e Alta Áustria. A colônia recebeu também pessoas de outros estados da Áustria e ainda austríacos do Tirol do Sul (Südtirol), região que pertenceu a Áustria entre 1363 e 1918 e que após a 1º Guerra Mundial foi anexada ao território italiano. Resumidamente, apresentamos um pouco dessa história de fundação da cidade, para melhor compreender a cultura presente na sua arquitetura, principalmente nesse original exemplar construído em madeira - na década de 1940, com características da arquitetura alpina.

Também, a Banda dos Tiroleses é um dos ícones culturais da cidade de Treze Tilias. Ela foi fundada a bordo do primeiro navio de imigração. Oportunizamos e apresentamos uma fotografia que fizemos na década de 1980, em pleno desfile do Oktoberfest Blumenau.
Banda dos Tiroleses - da cidade de Treze Tilias SC - Desfile do Oktoberfest Blumenau - 1986 - Rua XV de Novembro . 
Resgatamos o assunto da história da cidade de Treze Tílias, nesse momento, porque digitalizamos o material filmado por nós na época que nos hospedamos no Hotel Áustria e deixamos para a comunidade - um pouco dessa história
As imagens foram filmadas com uma máquina Sony em uma fita VHS. Elas, apresentam aspectos de partes da cidade de Treze Tílias, da festa de julho - Winter Bier Fest, apresentações da cultura local através da dança folclórica, o Museu Municipal Andreas Thaler, entre outras coisas.

As imagens comunicam - Vídeos feitos em 1999

Recortes de imagens da cidade de Treze Tílias e de seu primeiro hotel - o Hotel Áustria.

Danças folclóricas - apresentação na Winter Bier Fest de 1999 - Treze Tílias.

Achamos interessante que o grupo folclórico da cidade - Lidental  chamava a milenar dança do Schuhplattler de "Dança dos Tapas".

Para ler sobre Schuhplattler - Clicar sobre: Schuhplattler - a Dança mais antiga da Europa.
Recebemos a mensagem do músico Ulli Hess de Rödelsee - integrante do Winzerkapelle Rödelsee - Alemanha - que diz:
Ich habe gerade Deinen Bericht über das Hotel Austria in Treze Tilhas gesehen. Im Jahr 1988 waren wir auf unserer ersten Brasil Reise auch in Treze Tilias. Johannes (Hannes) Wandler und ich haben damals im Hotel Áustria übernachtet. Ulli

A história é importante para referenciar uma comunidade, um povo, uma família, a partir de seu repasse, através da educação, para as novas gerações. Temos nossa responsabilidade - no Presente  - sobre esse aspecto. 
Se apreciamos a história e compreendemos sua importância, podemos "fazer"  história para o futuro - quando o "novo presente" chegar. E foi o que aconteceu - com um final não muito bom para o patrimônio histórico catarinense.



















quarta-feira, 28 de março de 2018

Páscoa - Ostern - Relembrando sua origem.

Estamos há menos de uma semana das comemorações do domingo de páscoa - que neste ano acontecerá no dia 1° de abril. Embora, convivamos com os “produtos “ da páscoa, há algum tempo nas prateleiras de lojas e supermercados da cidade, mal passam as festas de final de ano, já começavam a expor, sem muita fundamentação e entendimento. 
Resultado de imagem para ovos de páscoa no supérmercado
E afinal? Por que comemoramos a páscoa e qual sua origem? Por que repetimos anualmente esta comemoração? Qual a origem dos coelhos e dos ovos de páscoa? Coelho não bota ovos.
É um texto e questionamentos antigos, que já fizemos em outros anos, mas sempre relembramos nesse período para aqueles que não leram e para os que leram, relembrar.
Resultado de imagem para ovo de pascoa artesanal
O significado da Páscoa - Ostern - no alemão - e de como surgiu as comemorações alusivas a esta data, dentro da cultura dos antepassados alemães que vieram para a antiga Colônia Blumenau - região do Vale do Itajaí - e também, para outras regiões do Brasil e do mundo. Muitos dos descendentes destes, comemoram e repetem a tradição da páscoa dentro de sua família (sem o caráter e aspecto consumo), como já era praticada na casa do Opa e da Oma, mas não tem conhecimento de sua origem.
Esse vídeo fizemos quando o Jorge e a Isabel procuravam os ovinhos de páscoa escondidos em casa e na casa da Oma e do Opa - ano 1993
Desconheciam a origem da páscoa, mas a tradição continuava e era vivida - repassada de uma geração para outra.
Ovo de madeira pertencente a Oma Hanna Frieda Goll - nascida Lorenz  no ano de 1898 em Dresden - Residia na Vila Nova - Blumenau
Um pouco desta História - Ostern...

Por volta de 1800 A.C., existia um povo nômade que vivia próximo ao Mar Báltico - que imigrou para outras regiões da Europa, onde está situado o atual território da Alemanha e partes de países vizinhos deste. Este povo era conhecido com os Germanos. Séculos de História, mais tarde, seus descendentes migraram para outros continentes do planeta.
Germanos

Jacob Grimm
Os Germanos/Celtas e seus descendentes, cultuavam a natureza e tinham uma mitologia própria (mitologia germânica/céltica), antes da chegada do cristianismo à região pelas mãos dos romanos. Suas festividades, neste período do ano, eram dedicadas à Deusa da Primavera - Ostara (Curioso - Páscoa no idioma alemão é Ostern). Esta questão, também foi estudada, entre outros inúmeros estudos dos hábitos e costumes destes povos - por Jacob Grimm – um dos Irmãos Grimm . Disse ele que o termo “páscoa”Ostern é uma derivação de OstaraDeusa Germânica da Primavera. Lembramos que os Irmãos Grimm foram grandes estudiosos da mitologia, crenças e tradições dos povos que ocupam os territórios, onde hoje falam o idioma alemão, principalmente na própria Alemanha, antes da chegadas dos cristãos, que oprimiram, muitos  por estas práticas, ou mesmo adotaram-nas adequando-as aos seus rituais e festividades, como por exemplo, a própria páscoa.

Leitura recomendada
20 out. 2013 ... Os irmãos Grimm, de Hessen, viveram do final do Século XVIII e início do Século XIX .
Ostara
A religião e a vida desta comunidade giravam em torno das estações do ano e ciclos naturais. As festividades antigas, geralmente aconteciam durante o equinócio de primavera - no hemisfério norte. As festividades à Deusa Ostara, aconteciam no primeiro dia da primavera. Para este povo, o equinócio da primavera tem muita importância, porque marca o retorno do sol – energia máxima da vida e com ligação direta a manutenção da vida, através da colheita do alimento. Até os dias atuais, as pessoas que residem nesta região apreciam e orientam suas atividades de lazer observando esta época do ano. Acreditavam ser o período do despertar da Terra, com sentimentos de equilíbrio e renovação.
Na mitologia grega, o coelho representava a fertilidade
Ficou conhecido como "Coelho da Páscoa" no norte da Alemanha, somente, há cerca de cem anos. Mitologicamente, o coelho é o animal sagrado atribuído tanto à Afrodite, a Deusa do Amor - na mitologia romana, como também, à a Deusa Ostara - na mitologia germânica.
Trabalho de tornearia feitos em Pomerode SC

A região, onde há mais tempo, ocorre a prática da tradição da lenda dos ovos trazidos pelo coelho da Páscoa é, aquela que abrange, atualmente, o sul da Alemanha
Segundo pesquisadores, os registros mais antigos sobre o fato, são do ano de 1678. O pesquisador Heidelberg G. F. Von Franckenau, afirma que a ideia do coelho que trás ovos de páscoa tenha surgido há mais de 300 anos, na Alsácia (França), no Palatinado e no Alto Reno (Alemanha).
Na região, naturalmente, coelhos e lebres se multiplicavam e se multiplicam na primavera – início da estação, na qual surgiram as festividades da Páscoa ou à Deusa Ostara, no Hemisfério Norte. Conta-se, através de relatos, que os padrinhos das crianças teriam inventado uma caçada ao coelho, na qual as crianças encontravam os ovos coloridos escondidos nos parques e jardins.




Alois Döring
O pesquisador de Bonn - Alois Döring diz que um dos símbolos mais conhecidos desta época do ano - o coelho dos ovos - foi uma invenção protestante. De acordo com o pesquisador, tem a ver com as diferenças entre católicos e protestantes, no período.
"Crianças católicas sabiam que na Páscoa poderiam voltar a comer ovos, que durante a Quaresma eram proibidos. Mas como explicar às crianças protestantes (luteranos) por que, de repente, havia tantos ovos na Páscoa?", explica Herr Döring. Ele diz ainda, que foi por isso que os protestantes criaram as histórias do coelho que distribuía, de casa em casa, os ovos acumulados durante o período.

 “... o coelho era um símbolo da fertilidade – o que, aliás, não explicava como o animal, na condição de mamífero, tinha tantos ovos.

O pesquisador, prossegue dizendo que contra os ovos em si, os protestantes não tinham nada. Os ovos para todos, sempre foram tidos como símbolo de vida nova e, assim sendo, da ressurreição de Jesus Cristo. Ele afirma que a tradição de pintar, decorar e presentear os ovos já existia há muito tempo, como já constatamos anteriormente.
Cidades são decoradas - até os dias atuais (Não é coisa do passado como muitos afirmam aqui no Brasil)
Cidade alemã de Bad Wildungen


Antes mesmo de existir os ovos de chocolate enrolados em papel colorido, existia a tradição de colorir ovos de galinha cozidos, que na Alemanha, ainda existe atualmente e também não é coisa do passado e antepassados, como muitos "vendem" no Brasil. Em muitas regiões da Alemanha, não se pode faltar ovos coloridos no café da manhã do sábado ou no domingo de Páscoa, muito bem decorada e degustado em um café da manhã formal, com presença de toda a família.




Em Blumenau e região (Antiga Colônia Blumenau), fundada e destino de muitos imigrantes daquele país, em tempo que ainda nem existia, quando perguntamos, aos mais antigos, sobre ovos de páscoa cozidos coloridos, confirmam a sua presença em suas páscoas de infância. Presenteavam se entre si, com ovos de galinha cozidos coloridos e decorados. Interessante, que alguns somente lembram, mas não conhecem a origem da tradição e erroneamente contam que sua família era“pobre" e não tinha dinheiro para comprar ovos de chocolate.





O pesquisador Alois Döring ainda conta sobre os ovos coloridos, que:
"Antigamente, era comum pintar os ovos apenas de vermelho, para simbolizar tanto a cor do sangue de Cristo quanto a do amor que ele nutria pela humanidade. Isso ainda é assim na Igreja Ortodoxa. A decoração servia para distinguir os ovos bentos dos não bentos durante a Páscoa."
Também a figura de pintinhos fazem parte dos rituais da páscoa atual, bem como da decoração, talvez como parte do processo do ovo, na sequência imediata.

A culinária alemã de Páscoa
Osterzopf -  uma rosca decorativa, na qual, depois de assada, podem ser colocados os ovos cozidos.
Osterlamm - Cordeiro de páscoa. não é um cordeiro assado -tradição judaica. É um tipo de pão doce na forma de um cordeiro.
Möhrencremesuppe - uma sopa com o legume preferido do coelhinho, a cenoura. 
Osterbraten - o assado de Páscoa, servido no domingo, que pode ser qualquer tipo de carne, não necessariamente cordeiro. 
Osterfeuer:





















"Chama da fé"
Fogueira de Páscoa - Costume cultivado em algumas partes do país, como fazia os povos antigos. Para a cultura e mitologia germânica, o fogo é o símbolo do sol - calor, alimento, proteção e vida. No cristianismo, a fogueira foi adotado oportunamente como a "Chama da fé", tendo em comum, a ideia da purificação. Na idade média, a 0 "limpeza de Páscoa" na Alemanha começava no pátio da igreja, onde os fiéis juntavam restos de madeira, galhos e as ramagens secas que sobravam do Domingo de Ramos e queimavam em uma grande fogueira na noite de sábado para domingo. O Osterfeuer é uma prática muito comum na Alemanha. Lembramos, que tem a mesma origem, a "Fogueira" de São João, trazido pelos imigrantes portugueses para o Brasil. A origem é a mesma, no berço dos povos antigos.


Osterkerze
Durante o Osterfeuer é acesa a Osterkerze- a vela da Páscoa que é levada para a igreja, que está às escuras, em procissão por todos da comunidade. Neste momento, os fiéis cantam três vezes a canção Lumen Christi, a luz de Cristo. Na Vestfália e no norte de Hessen são praticados rituais dos povos antigos, portanto pagãos até os dias atuais. Grandes rodas de carvalho, com 1,70 m de diâmetro e mais de 20 cm de espessura, desfilam pela cidade, transportadas em carros de feno. Após o desfile, são levadas para o alto de um monte e às 21 horas do sábado, são incendiadas e rolam montanha abaixo.
Vídeos interessantes
Decoração de ovos - Locais onde esta tradição tem origem.





Sugerimos a leitura dos Post´s - Clicar sobre o título:

18 out. 2013 ... Algum tempo após o primeiro século de nossa Era (Um pouco de História...Parte I - Dos Germanos ao surgimento: “Deutschland” ) - Idade ...

18 out. 2013 ... Foram o historiador romano Tácito e o imperador Júlio César que forneceram os primeiros dados sobre os hábitos e costumes dos germanos.

18 out. 2013 ... Germanos e sua Mitologia - Crenças e Panteon - Parte I ... de maneira muito simples e inteligente, a mitologia dos germanos através de seus ...

18 out. 2013 ... Germanos e sua Mitologia - Crenças e Panteon - Parte II ... crenças, das quais originaram nossos antepassados – As tribos dos germanos.
18 out. 2013 ... O Culto da Colheita - Mitologia Germânica · Primavera entre os antigos povos germânicos - Mitologia · História...A páscoa na cultura alemã

21 out. 2013 ... Muitos dos descendentes destes, comemoram e repetem a tradição dapáscoa dentro do seio de sua família 
1 abr. 2014 ... As crianças pequenas e grandes se divertem com esta brincadeira e tradição, do período da páscoa. Também é conhecido por jogo dos Ovos

O melhor da festa é sempre seu preparativo!
A união familiar envolto de harmonia, paz e amor ...Feliz Páscoa a todos e que a simbologia de todos os tempos, no que tange a sua essência maior, se faça presente em todos os lares – a renovação do bem... A nova chance.