sábado, 15 de junho de 2019

segunda-feira, 10 de junho de 2019

Um presente da Equipe Eslovaca que filma a vida e obra de Hans Broos - Uma libélula - Qual seu significado?

Lembrança de um trabalho na forma de uma libélula.
Com o Diretor eslovaco Ladislav Kabos  e o ator
 Imrich Boráros que interpretou  o Arquiteto Hans Broos.
A equipe eslovaca do documentário da obra e vida do Arquiteto Hans Broos se encontram novamente no Brasil. É sua terceira vez no país. Encontramo-nos com a equipe no dia 9 de junho - domingo, para gravar cenas com o ator eslovaco Imrich Boráros. Logo mais tudo sobre em uma postagem exclusiva.
No momento que nos encontramos com a equipe, na cidade de Florianópolis SC, fomos presenteado por seu  Diretor Ladislav Kaboscom, com uma peça de adorno pessoal na forma de uma libélula. 

Procuramos o significado da libélula, principalmente, na região onde as primeiras religiões surgiram dentro do meio natural envolvendo elementos da natureza.



As libélulas são insetos pertencentes à ordem Odonata, subordem Anisoptera, em torno dos quais, de fato, gira uma lenda e muitos significados simbólicos.

O nome da libélula está ligado a algumas correntes de pensamento:
O nome seria derivado do termo latino “libra", que significa balança, isto porque enquanto voam, as libélulas parecem uma balança dado que se mantêm em perfeito equilíbrio.  Também comentam que o nome tenha origem no termo latino 'libellum', diminutivo de liber,  que significa livre
Ou ainda o mesmo diminutivo  lembraria "livro" - suas em momento de voo parecem um livro aberto.

Lenda 

A libélula está frequentemente associado à transformação.
Conta a lenda que a libélula foi um dragão muito sábio que a noite espalhava a luz com sua própria respiração de fogo, que teria criado a arte da magia e da ilusão. Um dia o dragão acabou sendo um prisioneiro de sua própria magia: para enganar um coiote se transformou em uma libélula, mas acabou ficando preso no novo corpo, perdendo todo o seu poder.

Símbolo

De acordo com algumas tradições, a libélula é o símbolo da transformação e das mudanças diárias. Também é o símbolo da introspecção que ensina a ir além das aparências para procurar sua identidade. Na cultura europeia, a libélula é vista como um símbolo da liberdade, da paz e da busca da verdade.
De acordo com os nativos americanos, a libélula era o símbolo de uma verdade oculta e o próprio inseto representava as almas dos mortos.
No Oriente, a libélula simboliza sorte, harmonia e prosperidade.
No momento que vimos a delicada peça, sentimos que comunicava e dentro das tradições possuia um significado maior que a sua imagem.
Compartilhamos pois.
Gratidão, equipe.  
Guardaremo-na tal qual uma histórica relíquia, de um momento de homenagem ao arquiteto Hans Broos e lembranças de todos, envolvidos neste especial trabalho. Hans Broos será lembrado também na 7° arte - no cinema.
Vážka stelesňuje vývoj, zmenu a ochranu. 
Vážka je krídlatý, silný, mäsožravý hmyz tropického pôvodu, ktorý sa usadil aj v iných oblastiach, vždy v blízkosti vody: pri jazerách, vodopádoch, rybníkoch, mokradiach av bačorinách. Má dva páry silno žilkovaných krídel, výrazne dlhý štíhly “zadok” a vypuklé oči. Je to teritoriálny hmyz, ktorý svoje územie bráni. Larvy vážky sa nazývajú nymfy a žijú výlučne vo vode. Majú špeciálny masku, ktorou zachytávajú korisť. Na konci štádia larvy vylezú z vody, zhodia blanku, ktorou sú pokryté, vysušia si krídla a je z nich plne funkčná vážka, ktorá ešte rastie a postupne sa vyfarbuje.
Vážka spája elementy Voda a Vzduch. Narodí sa vo vode, vyvíja sa vo vode, potom vodu opustí a vznesie sa do vzduchu. V angličtine sa vážka nazýva “dragonfly”, teda “dračia mucha”. To má pôvod v legende, podľa ktorej mal drak čarovnú moc, ktorú však nesmel zneužiť: prinášal svetlo a múdrosť a mágiu, schopnosť premieňať sa na iných tvorov av ohnivom dychu mal aj oklamanie zmyslov. Jedného dňa ho kojot vyzval, aby sa premenil na vážku. Vtedy prišiel drak o všetku svoju čarovnú moc, pretože ju použil na to, aby niekomu dokazoval svoju čarovnú moc. Iný príbeh hovorí zas o Atlantíde, kde vážka strážila starú múdrosť. Ale Atlantíďania zneužili jej schopnosti, experimentovali so svojimi vedomosťami a nakoniec prišli tak o svoju moc, ako aj o svoj kontinent.Vážka pripomína osud Atlantíďanov, prináša ich múdrosť ale súčasne aj varuje pred jej zneužitím. Prináša poznanie z hlbín minulosti, schopnosť sám seba prerásť a návrat starej múdrosti do nového cyklu. Dáva nám silu ovládnuť naše city a tak rozvíjať svojho bojovného ducha. Pretože je úzko spojená s vodou a jej živočíchmi, predstavuje aj silu intuície a rýchle a presné konanie na jej základe. Vďaka tomu dokážeme veci pochopiť aj bez slov a dokážeme rozpoznávať hranice vecí, pocitov a myšlienok.Svojimi náhlymi zmenami smeru počas letu symbolizuje aj umenie odpútavať pozornosť v boji a pri ochrane nášho “územia”. S vážkou máme navyše možnosť rozpustiť svoje staré karmické dlhy a zbaviť sa starých záväzkov, ktoré nám už dnes neslúžia. Dáva nám schopnosť meniť svoj tvar a silu kráčať ďalej po ceste, hoci je spojená s premenou a zánikom starého.Pre Číňanov predstavuje vážka leto. Je národným emblémom Japonska, pretože sa tvarom podobá na japonské ostrovy. Stelesňuje rýchlosť a prudkú, ničivú silu.
Curiosidades: 
As libélulas têm centenas de milhões de anos, um tipo de inseto que se originou antes dos dinossauros. São considerados um sinal de satisfação e tranquilidade devido à beleza de suas asas. 
Na China antiga, as pessoas locais acreditam que quem recebe o pouso de uma libélula receberá felicidade. 
Conectada com a água, pelo nascimento e também com o ar, para se locomover - é livre.


Vielen Dank!


Leituras Complementares - Clicar sobre título:








sexta-feira, 7 de junho de 2019

Klassische Musik in der Nacht

Guten Abend Freunde!
Um pouco de música clássica na noite...













Bis Morgen!




Entrega dos livros "Colônia Blumenau - no Sul do Brasil" - Biblioteca da UNIDAVI Rio do Sul - SC


Durante o lançamento do livro "Colônia Blumenau - no Sul do Brasil", que aconteceu  na noite de 2 de maio de 2019 - no Mausoléu "*Dr" Blumenau - na cidade de Blumenau SC, iniciamos um processo que terminou na noite no dia 6 de maio de 2019 - de maneira festiva - na Biblioteca da UNIDAVI - Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí, na cidade de Rio do Sul SC
O livro "Colônia Blumenau - no Sul do Brasil" é um dos mais valorosos e completos trabalhos publicados sobre a história da Região do Vale do Itajaí que tivemos em mãos nas últimas 3 décadas de pesquisa efetuada por nós.
Os autores : Marcondes Marchetti, Bruno Kilian Kadletz e Gilberto Schmidt Gerlach.

Para ler mais sobre esta obra - Clicar sobre: Lançamento do livro "Colônia Blumenau - no Sul do Brasil" - Momentos

No dia do lançamento do livro na cidade de Blumenau, conversamos com Bruno Kadletz e Marcondes Marchetti, no meio de toda a movimentação de uma noite de lançamento, solicitando o livro para o acervo da biblioteca da UNIDAVI, instituição de ensino superior que atende praticamente todos os municípios do Alto Vale do Itajaí e outros tantos de regiões vizinhas - no estado de Santa Catarina. 
Lembramos que a Colônia Blumenau tinha seu território muito diferente do atual - cidade de Blumenau. Este abrangia praticamente todo o território da região do Vale do Itajaí e portanto, a história pretérita  de todas as cidades presentes na região  atual apresentam  as mesmas origens  históricas, as quais têm ligação com o início da Colônia Blumenau. Muitos esquecem e preferem nominar um dos antigos residentes pioneiros, dentro de um determinado recorte de tempo, como fundador de um município ou cidade. 
A história é muito anterior a isto e a todos pertence, a qual, parte está contemplada nesta obra - o que motivou-nos a reivindica-la para a biblioteca da UNIDAVI.
Mapa da Colônia Blumenau de 1905 feito por José Deeke. Não há o registro da nucleação de Bella Aliança, atual cidade de Rio do Sul - cidade muito jovem - sob a ótica histórica.

O livro  "Colônia Blumenau - no Sul do Brasil"por seu valor em conteúdo, está se esgotando. Mesmo assim, dois dos atores cederam um exemplar cada um de seu acervo pessoal para destinar a UNIDAVI.
Estes livros foram repassados  à Biblioteca da UNIDAVI, no  dia 6 de junho e foram recebidos pelo Reitor da UNIDAVI: Prof. M.e Célio Simão Martignago; o Vice- Reitor e Pró-reitor de Administração:  Prof. Alcir Texeira; Pró-reitor de Ensino e Pró-reitor de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão: Prof. M.e Charles Roberto Hasse; Bibliotecária, Andeia Senna de Almeida da Rocha;  a Coordenadora do Curso de Ciências Contábeis Professora Dr.ª Leila Chaves Cunha e os acadêmicos  Thatiana Aline de Quadra, Vania Molinari e Gustavo Steinbach.

No vídeo,  as palavras de agradecimento e convites dos Professores Célio e Alcir pelo recebimento da obra doada pelos autores Marcondes Marchetti, Bruno Kilian Kadletz.

Momentos...
Chegando à Biblioteca da UNIDAVI.














 Professora: Leila Chaves Cunha e a bibliotecária da
UNIDAVI - Andeia Senna de Almeida da Rocha.









O Reitor e o Vice Reitor da UNIDAVI, Prof. Célio Simão Martignago e Prof. Alcir Texeira recebendo os livros. 
























Assinatura do termo de doação para a Biblioteca. Fomos somente instrumentos da doação feita pelos autores.




Reitor Professor Prof. M.e Célio Simão Martignago.

Vice Reitor Professor Alcir Texeira.



Gostamos de vê-los no momento - representando todos os acadêmicos que poderão acessar este conteúdo, além daquele disponível via on line.


Pró-reitor de Ensino e Pró-reitor de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão: Prof. M.e Charles Roberto Hasse.

A publicação está disponível on line - para acessar clicar sobre:
 
É muito bom poder construir pontes.


* Hermann Blumenau não era Doutor.
Em 1846, formou-se químico, mesmo não tendo terminado o ginásio. Químico não é um profissional que faz uso do título "Doutor", como também há políticos na atualidade que se apropriam do título erroneamente. Doutor é um título conquistado mediante a conclusão e aprovação de um curso de Doutorado. Desta forma, não é correto e de direito o título que muitos empregam o nome do fundador de Blumenau.

Notícia UNIDAVI - Acessar sobre: Entrega dos livros "Colônia Blumenau - no Sul do Brasil"

































Leituras Complementares - Clicar sobre o título escolhido:

  1. Hermann Bruno Otto Blumenau - Primeiro Negociante de Terras no Vale do Itajaí
  2. História comum entre as Colônias Blumenau, Pommerroder, Itapocu, Humbold e São Bento - José Deeke
  3. Nacionalismo no Vale do Itajaí - a partir do Governo de Getúlio Vargas
  4. Johann Peter Wagner / Pedro Wagner - O pioneiro
  5. Colônias Blumenau, Pommerroder, Itapocu, Humbold e São Bento - José Deeke
  6. Proclamação da República


Agradecemos ao Roberto Wittmann - pelos registros fotográficos.