segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Cidades - Uma volta em São Paulo - Brasil - e um pouco de história...

Como urbanista, "lemos"a história na paisagem ou fragmentos dessa história. Pretensiosamente, também tentamos traduzir as marcas deixadas nessa paisagem a partir das movimentações sociais dentro de um recorte de um período histórico. Se não temos sucesso, ao menos, observamos e registramos com toda a curiosidade que nos é cabida. As imagens comunicam.

Observamos a paisagem que reflete as marcas das práticas sociais no espaço da cidade, ou das "muitas cidades" dentro da Metrópole. Falamos de São Paulo, que aniversaria no dia 25 de janeiro e é a cidade mais populosa do Brasil e do continente americano. Também é a 7° cidade mais populosa do planeta - são: 12 106 920 habitantes em uma estimativa populacional do IBGE - do ano 2017. 
A cidade possui o 10º maior PIB do mundo, tem a fracão de 10,7% do PIB brasileiro.
Foi fundada no ano de 1554 por 12 Padres Jesuítas, reflexo do surgimento da Companhia de Jesus na Espanha, iniciativa da Igreja Católica de Roma para enfraquecer a Reforma e as dissidências que a Igreja vinha tendo - Cristianizar o novo mundo, a partir de escolas - então foi fundado o Colégio Jesuíta no local onde surgiu a cidade de São Paulo.

A Povoação de São Paulo de Piratininga, como foi primeiramente batizada, surgiu em torno desse colégio, marcando a data de 25 de janeiro de 1554, como seu início. O local escolhido, presente ainda no tempo presente, foi o local mais alto no meio de dois ribeirões: Anhangabaú e Tamanduateí (canalizados).
O nome de São Paulo, é justificado, porque o dia da fundação da cidade, dia 25 de janeiro, é  o mesmo dia que a igreja católica celebra a conversão do apóstolo Paulo de Tarso - explicado pelo padre José de Anchieta aos seus superiores da Companhia de Jesus na Europa, através de cartas.
A cidade de São Paulo, como principal característica, apresenta a cosmopolidade a partir de amostra cultural de representantes de muitos povos de várias partes do mundo que chegaram na cidade - em 2016, possuía moradores nativos de 196 países diferentes.

Tarsila do Amaral - participou do primeiro momento do Movimento Modernista - obras de 1933.

Com isto, são vários os cheiros, as cores, os sotaques, cores, sabores e paisagens. Nós, sob nossa ótica muito pessoal e a partir de nossa profissão, percebemos na cidade de São Paulo - há cidade dentro de cidades. Cidades de vários tamanhos territoriais e adensamentos, com mais ou menos conflitos - dependendo da infraestrutura, localização da economia e tipo e concentração de meios de transportes. Cidades com qualidade de vida, outras, nem tanto. Cidades que se desenvolveram dentro do "centro", da célula primeira, embrião, do primeiro centro. Cidade com muitas marcas histórica na sua paisagem. Atualmente, inclusive, com a presença do Colégio Jesuíta do século XVI.
O centro, ou "centrão" de São Paulo, é uma "colagem" de justaposição de camadas de tempos históricos, onde alguns resistiram mais, outros menos. Há várias camadas culturais/econômicas/sociais dividindo o mesmo espaço urbano, sem no entanto interagirem entre si. Algumas pessoas tornam-se "invisíveis" e são ignoradas entre si quando estão em diferentes dessas situações. Fazem o uso simultâneo do mesmo espaço, mas "não se encontram". Dentro do caos aparentemente instaurado, há uma organização pautado no conformismo, que "é assim mesmo" e "infelizmente não podemos fazer nada". Mas, sabemos, trata-se de partes de cidades "doentes", sobre as quais tanto comentamos e mencionamos, a partir de nossas cidades catarinenses, com número bem menores, mas talvez, proporcionalmente, com números maiores se considerarmos o adensamento e número de habitantes. 
Não é por acaso, que a civilização  grega clássica e quase 90% das cidades alemãs tem, ou tinham, a população de suas cidades variando em torno de 5 mil habitantes.
Apresentamos, ao longo dessa postagem, algumas imagens que fizemos "olhando" a cidade de São Paulo 2018 entre os dias 11 ao dia 15 de janeiro de 2018.
Estrutura de concreto de parte do complexo da Estacão de metro - ponto Armênia - rumo ao ."centrão".



Sistema de Metrô e trem - cidade de  São Paulo - marcação estacão Armênia.  


Dentro das estacoes - há espaço para divulgação cultural

"Cidade dentro de cidades" - poderia ser um bairro de uma cidade qualquer de porte médio - proximidades do centro de  São Paulo.







Pessoas abaixo do nível do solo - transporte público sem conflito - metrô.
Visitando uma rua e arredores do centro de São Paulo, onde pessoas de todo o Brasil se encontram e também, fora do Brasil - Rua 25 de Março.



Fragmentos de cidade de outro período histórico.





Fragmentos de cidade de outro período histórico.


















As camadas que não se encontram - alguns compram, outros moram em caixas.

História nas paredes e murais

Centrão - Complexo Cantareira

O Complexo Cantareira é formado pelo Mercado Municipal Kinjo Yamato e o Mercado Municipal Paulistano (Mercadão). Os dois mercados compartilham de histórias em comum não só no que diz respeito à comercialização de produtos. Durante o período de construção do Mercadão, o espaço do Kinjo foi utilizado como base de construção. Durante a Revolução Constitucionalista de 1932 o local foi utilizado como enfermaria, enquanto o Mercadão serviu como depósito de armas.

Mercado Municipal Kinjo Yamato

Mercado Caipira
Sua história tem ligação com o antigo “Mercado Caipira” ou “25 de Março dos produtos hortifrutis”, como era chamado o local antes instalado na Várzea do Parque Dom Pedro e que se tornou conhecido pela comercialização de frutas, legumes e verduras provenientes do produtor rual onde trabalhavam imigrantes japoneses. Como complemento de renda, esses imigrantes traziam os produtos que sobravam da colheita para vendê-los no centro da capital paulista de maneira informal.
Em 1922 o local do comércio mudou para o número 377 da Rua da Cantareira. O novo local – que foi adquirido pela Prefeitura de São Paulo – até então era utilizado pela Light (atual Eletropaulo), companhia que acomodava os bondes (meio de transporte coletivo utilizado na época) numa espécie de estacionamento. 
Originalmente o local atual nao tinha cobertura – que ocupa uma área construída de 4.550 metros quadrados – recebeu em 1936 a doação da cobertura oriunda da Escócia e inicialmente, seria usada na estação de trem que ficava no Anhangabaú. Em 1988, quando se completou 80 anos de imigração japonesa no Brasil, o local foi batizado de Kinjo Yamato - uma maneira de homenagear o primeiro imigrante japonês a se formar em Odontologia.
 





Cobertura com estrutura de ferro.

Cores e sabores de temperos de todo o mundo - com diversos aromas



Folhas de babosas vendida por unidade.






Mercadão

O Mercadão - Mercado Municipal Paulistano, está localizado também no "centrão" - centro histórico de São Paulo, entre as ruas Cantareira, Comendador Assad Abdalla e as avenidas Mercúrio e do Estado, sobre uma área próxima ao rio Tamanduateí.
O projeto foi assinado pelo engenheiro Felisberto Ranzini, que também assinou o projeto do Teatro Municipal. Foi entregue aos paulistanos no aniversário da cidade do ano de 1933 - mesmo que sua construção data do início do século XX. A sua primeira função foi a de armazém de pólvora e munições. Foi somente no fim da Revolução Constitucionalista de 1932 que o mercado pôde assumir suas funções, e substituiu o Mercado Velho da Rua 25 de Março, rua que também visitamos e fotografamos nesse momento. O Mercadão é um entreposto comercial de atacado e varejo, especializado na comercialização de frutas, verduras, cereais, carnes, temperos e outros produtos alimentícios. 
Seu espaço tem uma área de 12.600 m2 e nele trabalham mais de 1.500 pessoas, que juntos, movimentam aproximadamente 350 toneladas de alimentos diariamente em seus aproximadamente, 290 boxes
A edificação histórica foi restaurada no ano de 2004, quando foi construído um mezanino para colocar os restaurantes - tornando-o um centro de gastronomia -  as fachadas foram recuperadas e os vitrais foram restaurados. O trabalho foi feito sob a coordenação do arquiteto Pedro Paulo de Mello Saraiva. 

Arquitetura
O edifício foi construído na linguagem eclética com projeto de 1925, assinado pelo engenheiro Felisberto Ranzini, que trabalhava no escritório do arquiteto Francisco de Paula Ramos de Azevedo, sendo o desenho das fachadas de Felisberto Ranzini. Sua construção aconteceu entre os anos de 1928 e 1933. Sua construção, bem como outras obras desse tempo, são reflexos do período da cultura cafeeira, quando a cidade buscava a valorização de suas áreas centrais, associada a uma ideia de modernidade e adequada ao aquecimento econômico proveniente da produção cafeeira. 
Pedra fundamental
Alguns afirmam que a construção do Mercado Municipal também é resultado da adoção de ações higienistas que ocorreram entre o início do século XIX até meados do XX, em cidades europeias, e inspiraram diversas cidades brasileira, no mesmo período, a dotarem os novos modelos espaciais  e de arquitetura - como edificações de mercados públicos e outros equipamentos de infraestrutura urbana -  para minimizar focos epidêmicos. 
A tipologia arquitetônica tem semelhança com o Mercado Central de Berlim - a semelhança também é percebida na planta modulada do edifício. O edifício paulistano, eclético, como mencionamos (misturas de mais de um estilo), com  uma construção de estrutura de concreto e fechamento feito com tijolos, tem em sua composição eclética - a partir da composição do estilo neoclássico e de nuances do gótico - representado na presença dos 55 vitrais que mostram vários aspectos da produção de alimentos. Os vitrais são de autoria do artista russo Conrado Sorgenicht Filho, também conhecido pelo trabalho realizado na Catedral da Sé.  A iluminação natural é feita pela presença de claraboias.
As imagens comunicam.





















Fragmentos de  história na paisagem atual - de outros períodos históricos - Rua 25 de Março.
 Mosteiros de São Bento
(Em construção)

























 Ed Martinelli
(Em construção)












































Sao Paulo - Centro





 

























































































































































































































































































































Em Construção!!!