quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Uma volta nos Bairros Itoupavazinha e Itoupava Central - Blumenau SC

Do grande território da antiga Colônia Blumenau, restou como território do município de Blumenau, uma parcela pequena alongada - direção norte/sul, cortada pelo Rio Itajaí Açu – às margens do qual, foi fundada a primeira centralidade, na metade do Século XIX, de todo o Vale do Itajaí, chamada por todos de Stadtplatz (a praça da cidade - o centro - a cidade) localizado na foz do Ribeirão Garcia no Rio Itajaí Açu.

A topografia da região localizada ao sul do Rio Itajaí Açu, dentro do município de Blumenau, é montanhosa e sua geologia apresenta as características de um solo arenoso que necessita da capa de vetação sobre si, para manter-se estruturado. Região exuberante,  com a presença da Mata Atlântica. Também região com áreas alagáveis e susceptíveis a ação de enxurradas.
A região localizada ao norte do Rio Itajaí Açu, dentro do município de Blumenau, também cortada por uma cadeia de montanhas, mas na parte extrema oeste do município – Serra do Selke - a qual faz divisa com Pomerode e também com o Vale do Itoupava. Observar a pedreira instalada na serra com caminhos usados para desmatamento local - Mata Atlântica.
No dia 25 de fevereiro de 2018, passamos pelos bairros de Itoupavazinha e Itoupava Central.
Sentido do trajeto que fizemos para chegar a região estudada a partir do bairro de Salto Weissbach.


Essa não foi a primeira vez que andamos nessa região com o objetivo de estudar o espaço. Estivemos olhando esse sítio há mais de 20 anos atrás - 1994, com a preocupação aflorada a partir da mudança promovida no local, quando deixou de ser zona rural para ser zona urbana. Desenvolvemos um pequeno trabalho em equipe - na FURB -  pesquisa in loco, nos anos de 1990.
Recanto Silvestre - Garcia - Sul de Blumenau
O sítio é formado pelos bairros Itoupazinha e Itoupava Central - bairros localizados na região Norte do município de Blumenau, o qual se limita, ao Norte, o Distrito de Vila Itoupava; ao Sul, os bairros Fidélis; a Leste, Área Rural Leste de Blumenau e pequeno trecho do bairro Fidélis e, a Oeste, com Área Rural Oeste de Blumenau. Os bairros são cortados pelo Ribeirão Itoupava, e muitos outros ribeirões como os Tatutiba I, II, III e IV, das Rosas, Fiedler, Beck, Carolina e o Rio Bonito e muitos Córregos.
As suas principais ruas, na margem direita do Ribeirão Itoupava são: a Rodovia Estadual SC-474 (Rua Dr. Pedro Zimermmann) e as ruas Professor Jacob Ineichen, Rudolfo Walter, Franz Volles, Ricardo Georg e Erich Meyer. Na margem esquerda do Ribeirão Itoupava, a principal via é a Rua Gustav Zimmermann.
O norte do município de Blumenau apresenta uma região semi plana – com poucos pontos alagáveis. Região ideal e opção para receber um plano (PROJETO) de expansão da cidade, com respeito ao meio – histórico e natural - aliviando a região sul de ocupação e preservando a capa da mata nativa das montanhas com solo arenoso.
Ao contrário, o sul do município está também recebendo um célere adensamento, com o aval do poder público, quando instalou os edifícios do Projeto Minha Casa e Minha Vida em um dos redutos naturais mais completos dentro da Mata Atlântica e mais bonitos no município, mas também, sensíveis à ocupação humana - mediante desmatamentos.

No local onde estão atualmente os bairros de Itoupava Central e Itoupazinha, durante os primeiros anos de história da Colônia Blumenau, foram delineados os lotes coloniais ao longo do Ribeirão Itoupava – que era usado para irrigação e acessibilidade, como todo os rios e ribeirões da bacia  do Itajaí Açú  e as povoações que surgiam às suas margens - ver mapa da Colônia Blumenau de 1864

As primeiras propriedades tinham os aspectos de propriedades rurais - característica que perdurou até bem pouco tempo - e o que nos fez fazer uma pequena pesquisa no local na década de 1990. 
A maioria das propriedades locais dos bairros Itoupavazinha e Itoupava Central forneciam sua produção excedente, daquela para consumo da propriedade, à Cia Jensen que os industrializavam e distribuía os produtos no território brasileiro, principalmente no sul e sudeste do país. 

Já escrevemos sobre a Cia Jensen – Para acessar, basta clicar sobre Cia Jensen.




As atividades das pessoas, nas primeiras décadas de história local estavam relacionadas às práticas culturais dos primeiros imigrantes, oriundos das regiões da Europa, que atualmente fazem parte da Alemanha. 
Nos finais de tarde, as famílias permaneciam alguns momentos nas varandas, quase sempre localizadas na parte da frente da casa – ocupando toda sua extensão – junto à sala e o quarto do casal. 
Edificação centenária localizada no bairro de Itoupava Central - Blumenau, construída com técnica construtiva enxaimel com o uso da madeira. Fechamentos feitos a partir de três tipos de materiais: madeira simples em tábuas, tijolos maciços aparentes e taipa ou pau a pique - Varanda - local de descanso, contemplação e momento família.

Na frente da varanda, cortando o jardim, estava o caminho até a estrada, ladeado de canteiros de flores. Em um dos lados da casa estava o rancho, no outro e ou, nos fundos – o quintal de hortaliças ao lado do pomar. As características dessas propriedades eram respeitadas até bem pouco tempo, se considerarmos o período histórico do local. 
Retirado do livro - Centenário de Blumenau
Nas primeiras décadas da Colônia Blumenau - estabelecimento obrigatório em toda a propriedade - Ranchos, nos quais eram guardados, desde ferramentas rurais, carros de tração animal, até parte da colheita e ordenha das vacas - Itoupava central - Blumenau.
Itoupava Central - Blumenau - Típica paisagem dos primeiros tempos de Colônia Blumenau - inclusivas nas áreas "urbanas". A a casa principal está alinha à rua, com jardim na frente, provavelmente a horta nos  fundos  e como ainda hoje é em algumas regiões da Alemanha, plantação de roça e pasto, nos arredores - e é claro a presença do Rancho.
Após alguns anos da chegada das primeiras famílias, no local, as pessoas – quase sempre- trabalhavam na fábrica, e também na sua propriedade, produzindo muitos dos alimentos que consumiam na mesa de sua casa, abastecendo a dispensa com frutas, geleias, embutidos, carnes, leite e seus derivados, legumes, cereais, etc, etc...
O trabalho era muito, mesmo assim – em um momento do dia, ocupavam a varanda. Também nos finais de semana, destinavam parte de seu tempo para o lazer junto às sociedades - tradição também na Alemanha atual (vimos in loco), sendo a primeira a ser fundada – a Schützenverein Itoupava (Atual Clube de Caça e Tiro Ribeirão Itoupava), fundado em 1° de julho de 1877 e o mais conhecido - Schützenverein Eintracht (Atual Clube Recreativo Esportivo e Cultural Concórdia) - anexa ao Museu de Clubes de Caça e Tiro de Blumenau e Região, fundada em 29 de abril de 1899 - ambos no século XIX.
Foto: Família Liesenberg

Para ler mais sobre a segunda associaçãoClicar sobre: Schützenverein Eintracht - Museu dos Clubes de Caça e Tiro de Blumenau.

No dia 1º  de maio de 1894 foi, também, fundada a Schützenverein Itoupava Alto (Atual Sociedade Esportiva e Recreativa Itoupava Alto, e no dia 20 de novembro de 1927, foi fundada a Schützenverein  Caroline Strasse (Atual Clube de Caça e Tiro Estrada da Carolina). Também, no dia 30 de julho de 1931 foi fundada  a Sociedade Desportiva Itoupava Central.
Em 1903 foi fundada, a partir da Comunidade Escolar Tatutiba I, a Escola Particular Alemã, localizada na rua Professor Jacob Ineich. A escola mudou de nome no dia 18 de maio de 1938 – reflexo do Nacionalismo em toda a região -  mudou o nome para Escola Isolada Municipal Visconde de Taunay, relocada em novas instalações localizada na Rua Franz Volles e inaugurada em agosto de 1988, onde se transformou em Escola Básica.
Falando em Tatutiba, lembramos sobre seu significado, sobre o qual já escrevemos. Trata-se da denominação de pontos geográficos dessa região, usados pelas primeiras famílias de imigrantes alemães. Na verdade eram três comunidades: Tatutiba I, II e III.
Antigos registros da cidade definiam as Tatutibas como o nome de três linha coloniais, a mais conhecida - atual Rua Jacob Ineichen - que tinham início na estrada de Itoupava Central, na Itoupava Central nos moldes antigos, antes do impacto da BR 470. Foi exatamente nessa estrada que passamos no mês de fevereiro de 2018, onde apresentaremos imagens da paisagem no momento presente.

Tatutiba, no Google Erth - somente como denominação de um autódromo


A origem de "Tatutiba" é da expressão   "Tatu-Tiefe", onde 'Tiefe" é uma palavra alemã que significa exatamente "Linhas coloniais de penetração", estas geralmente localizadas aos fundos dos lotes, quase sempre às margens de um ribeirão - característica da ocupação do imigrante alemão (Rio para irrigação e acessibilidade à propriedade), lotes que tem sua frente para as estradas gerais.
Seguindo esse raciocínio, as três linhas coloniais são "Tifas" expressão abrasileirada da palavra alemã "Tiefe".  Seria a Tifa do Tatu, ou melhor, "Tatu-tiefe". Mesmo nessa época, metade do século XX, os mapas oficias de Blumenau, tinham o registro de Tatutiba.

 Continuando...

Sem muita reflexão pautada em estudos e pesquisas - toda essa região – afastada da área central da cidade de Blumenau e ocupando uma área privilegiada sob o aspecto geográfico – foi transformada em área urbana – através da Lei Complementar N° 83, do dia 8 de junho de 1995. Não houve um projeto de infraestruturada para adequar aos novos usos do solo.

Nossa Pesquisa in loco - ano de 1994

No ano de 1994, fizemos uma pesquisa in loco - e fotografamos o entorno da Rua Jacob Ineichen - um pouco antes do início desse processo agressivo - mas conhecendo o novo perfil da região - o que nos motivou a pesquisar no anos de 1990.




Nesse trabalho de campo de 1994 - também entrevistamos pessoas de famílias que residiam na Rua Jacob Ineichen há muitas décadas. Em suas resposta, solicitavam a pavimentação da Rua Jacob Ineichen e viam as mudanças alardeadas com pouco otimismo. As entrevistas:
Nessa época os trabalhos eram feitos manuais - o computador e o trabalho digitado não eram acessíveis a todos.
Foto de fevereiro de 2018 - Itoupava Central
Nos anos de 1990, a paisagem original de ocupação rural e também natural iniciou um processo irreversível de decadência espacial a partir da ocupação do solo sem o acompanhamento oficial, formal e técnico e respeitando um projeto de cidade. 
As pessoas, em nossa opinião, estão desprovidas de responsabilidades, pois não existe uma conscientização, como ocorre dentro de outras campanhas públicas, e também não existem diretrizes de assentamento e ocupação do solo. Bem como, não há adequação de infra estrutura mínima necessária à nova realidade espacial - transformado de região rural, para região urbana, que de urbanismo, não apresenta muita coisa. 
Estas mudanças espaciais são ajustadas empiricamente. O resultado? Uma grande confusão na paisagem que tinha a  vocação para permitir a construção de partes da ampliação e adensamento da cidade de Blumenau do futuro com organização, função e estética para o bem-estar do homem, sem comprometer o conjunto espacial, desprovido de conflitos - antevistos nos  projetos - ou minimizados.
Itoupavazinha




As imagens comunicam...
Comunidade com uma infra estrutura pública deficitária e auto construções - ocupação do terreno não segue um desenho e um plano, onde são obedecidos critérios técnicos e bioclimáticos - Itoupava Central



Resquícios - são poucos - de uma paisagem rural - nos bairros - construídas pelas famílias que chegaram à região.




























Varanda autoportante de uma casa rural - provavelmente foi fechada anos após sua construção.


A primeira coisa que retiram de uma construção histórica abandonada - o assoalho de madeira nobre.

Detalhes para encaixe da madeira estrutural - enxaimel.

























Janelas originais da tipologia histórica.

A  edificação históricas tem característica de que foi recém restaurada, porém está sem uso.

foto de foto presente no seu interior.


Também uma fotografia dentro da edificação localizada na Itoupavazinha, a qual ilustra a recuperação da casa com estrutura enxaimel, com fechamento em estuque e não o tradicional tijolos aparentes - muito usado no litoral norte da Alemanha e não porque os colonos da Colônia Blumenau não tonha verbas para reboco como já ouvimos por aí.

Estrutura da taipa - madeira - como vimos tipologias na Alemanha - Foto da foto.









Taipa rebocada

Estrutura enxaimel - madeira encaixada - com dois fechamentos usando diferentes materiais


Tipologias que destoam da paisagem pré existente e desprovido de estudo de impacto

Casarão localizado no final da Rua Jacob Ineichen

















"Pedaços" de cidade, surgindo sem critérios de gabarito, localização e tipologias - desprovidas de adequação de infra estrutura.







Imagens de 2014




Nome das famílias pioneiras - Cemitério Itoupava Central

Fotografamos parte da história local no Cemitério da Comunidade de Itoupava Central - localizado na frente da E. B. M. Duque de Caxias. Fotografamos os nomes das primeiras famílias na região, incluindo o nome do Professor Jacob Ineichen, que emprestou o seu nome a uma das Tatutibas - antiga estrada da cachaça - Rua Jacob Ineichen. 
O cemitério está localizado na Rodovia Pedro Zimmermann - SC 108.







































































E.B.M. Duque de Caxias


Cada é vez menor os túmulos históricos. Muita informação histórica está se perdendo.




Calçada para pedestre na frente do cemitério e da escola





História de uma região - a partir de sua paisagem. 
O que deixaremos para gerações futuras?


Em Construção...

Leitura Complementar - Para ler Clicar sobre o título escolhido:
  1. Centro histórico de Blumenau - Stadtplatz - Ontem e Hoje
  2. Região sul do município de Blumenau e a cidade
  3. Cia Jensen - Pedaços de História de Blumenau
  4. Enxaimel e História na paisagem - Uma tarde Domingo em Blumenau - Bairro de Itoupava Central
  5. Schützenverein Eintracht - Museu dos Clubes de Caça e Tiro de Blumenau
  6. História... Schützenverein
  7. Nacionalismo no Vale do Itajaí - a partir do Governo de Getúlio Vargas





Nenhum comentário:

Postar um comentário