quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Seminário de Corupá - Santa Catarina - Uma visita

No último domingo, dia 2 de novembro - dia de finados -  visitamos, por um motivo especial, o Seminário Sagrado Coração de Jesus - situado na cidade de Corupá - Santa Catarina. 
Projeto do Seminário de Corupá foi assinado pelo Padre Gabriel Lux - Sua linguagem arquitetônica segue uma linha do  Backsteinexpressionismus - Arquitetura Expressionista com tijolos, arquitetura que surgiu no norte da Alemanha nas primeiras décadas do século XX. Ao mesmo tempo, a tipologia do seminários , também tem características dos "neos" e "Art Decó". Isto pode ser percebido na simetria e dimensões detalhadamente estudadas. Há elementos do gótico, românicos - observados nas janelas, com formatos diferentes. Isto faz com que a fachada tenha movimento, mesmo com a grande dimensão de sua largura. Observamos o telhado tipo mansarda, com telhas francesas e não planas como era comum na Alemanha e aqui na região - na época. É curioso ler relatos sobre esta obra, nos quais afirmam que esta ala - a primeira ala - não fora rebocado por escassez dos recursos. Registram esta percepção por desconhecimento. Citamos como exemplo de uma arquitetura  Backsteinexpressionismus, entre muitos na Alemanha - a prefeitura de Berlin, que segue a mesma técnica construtiva (autoportante e tijolos vermelhos aparentes). Muitas vezes utilizando adornos estéticos a partir de um rendilhados feitos de diferentes posicionamentos dos tijolos. Percebe-se este trabalho nesta fachada. Há muitas construções semelhantes na região que era a Pomerânia, junto ao Báltico, inclusive o Palácio construído pelos Teutônicos naquela região. 






Prefeitura de Berlin - Capital da Alemanha - Tijolo à vista.

Localização do Seminário de Corupá

O seminário é um complexo que foi construído em períodos distintos. Teve início de sua construção iniciada na segunda década do Século XX e na metade do século, ainda se estava inaugurando novas edificações do conjunto.
Convento Sagrado Coração de Jesus - Brusque SC
A iniciativa de sua construção foi do Pároco de Brusque Padre Germano Brand que também teve a iniciativa de construir a  edificação do Seminário de Brusque.
Na década de 20 do século passado, o Convento   Sagrado Coração de Jesus de Brusque, com capacidade para 30 internos não tinha mais espaço para o grande número de meninos que buscavam o local para estudar. Este, foi inaugurado no dia 3 de junho de 1924. A primeira função deste internato era a formação de seminaristas. 
Padre João Leão Dehon
 Jovem

Para entender - O Convento Sagrado Coração de Jesus foi fundado pela Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus na Província do Brasil Meridional. A Congregação foi fundada pelo Padre João Leão Dehon e seus membros também são conhecidos por Dehonianos.
O Padre Dehon foi sociólogo, escritor, advogado e o fundador da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. Nasceu no dia 14 de março de 1843 em La Capelle - França. 

Para ler mais sobre o Padre Lehon - Clicar sobre: Biografia de Padre Dehon e um pouco sobre sua Congregação.

Para ler sobre a Congregação e sua história em Santa Catarina - Clicar sobre: Dehonianos

Congregação Dehoniana também foi a mesma que construiu o Seminário de Corupá. Vamos entender porque.
Visita em Santa Catarina do Padre Dehon
A História do Seminário de Corupá tem ligação direta com o Seminário de Brusque, quando este teve o início de sua história em 1924 no dia 15 de maio, quando chegaram os  primeiros sete alunos ao denominado Colégio Sagrado Coração de Jesus - Brusque. Em julho de 1924, chegou o Orientador de Estudos do Seminário de Taubaté - São Paulo - Padre Inácio Burrichter e o início das aulas aconteceram em setembro deste mesmo ano. Contam que para conseguir sustentar os seminaristas e a casa, o Padre Germano Brand adquiriu uma chácara na Volta Grande, onde cultivou arroz e outros tipos de cultivos para a alimentação.

Em 1932, o espaço no seminário, como já mencionado, estava pequeno para o grande número de aspirantes a seminaristas que buscavam o seminário para efetuar seus estudos. 
O Padre Brand, teve, então a iniciativa de construir o Seminário Menor - Sagrado Coração de Jesus - na cidade de Corupá. Isto aconteceu, porque não havia condições espaciais e burocráticos para ampliar a edificação do seminário em Brusque. O terreno disponível não pertencia à Congregação. Paralelamente, a comunidade católica de Hansa Humbold (Denominação à comunidade de Corupá na época) - representada pelas lideranças:  Adolfo Baeumle, José Mueller e Guilerme Thiemann -  ofereceu o "chão" para a ampliação desejada e necessária.


Padre Gabriel  Lux
Nesta época, o Padre Pedro Storms  - Superior Regional da Missão, designou o Padre Gabriel Lux - construtor e projetista arquitetônico - para projetar a "planta" e executar a nova obra em Corupá, que além de ser projetada por um padre, também foi construída por padres. A planta seguiu fielmente o que de melhor vinha sendo construído na Europa. Fechamento com detalhes "rendilhados" a partir de tijolos vermelhos aparentes. Há muitas edificações com esta técnica construtiva na Alemanha, país de origem da maioria dos Padres construtores. 


Belíssimo rendilhado feitos com o posicionamento dos tijolos,  criando bonitos adornos decorativos - Como usado ao norte da Alemanha - Arquitetura Backsteinexpressionismus.



No domingo, durante a visita, conhecemos e conversamos com o Padre  residente  Otto Seidel - de 81 anos, que veio para o convento com 12 anos de idade. Ele nos disse que participou dos trabalhos da construção das fundações das alas novas do Seminário. 

Continuando...
O Superior Regional, também designou o Padre  Pascoal Lacroix para angariar fundos, junto aos católicos de São Paulo e do Rio de Janeiro, para custear a obra. Patrimônio construído com doações do Estado de São Paulo e do Rio de Janeiro, como também, de famílias da região e de outras partes do Estado de Santa Catarina. Edificação cheia de significados e história.
Início da obra - executado pelo padres, inclusive o
Padre Gabriel Lux - Arquiteto.
Até esta etapa foi feito a  primeira parte desta Ala
Atenção para a técnica do enxaimel usado para o
 fechamento das  mansardas - Este fechamento está no
 interior do sótão - fotografamos. Ficou "guardado"
 quando a obra deu sequencia a segunda
parte da construção.





Cerimônia da pedra fundamental - 09 de Setembro de 1929,
 com as presenças entre outros , do Padre Lux e do
Padre Brand que fez o Sermão.
Os trabalhos de construção do Seminário de Corupá, tão logo o projeto ficou pronto, iniciaram no ano de 1929 e a inauguração da primeira parte aconteceu no ano de 1932, com a chegada dos primeiros seminaristas. Com isto, o Padre  Padre Pedro Storms definiu que em Taubaté aconteceria os estudos teológico dos Seminaristas e em Santa Catarina se faria o noviciado e os estudos filosóficos. No dia 20 de fevereiro de 1932 teve início o primeiro curso de Filosofia  do estado, sob a direção do Padre Roberto Bransiepe, que veio da Alemanha com este objetivo.
A foto foi um presente do imigrante alemão - Carlos Walter Ebersbach (1904-1997) ao seu neto - Sr; Sérgio Roberto Naas - que gentilmente disponibilizou a imagem histórica à esta contribuição histórica.



Em 1953 começou a construção da nova ala, e provavelmente, foi nesta etapa que o nosso amigo - o Padre Otto participou - pelo que nos contou - estaria com aproximadamente 20 anos de idade. Nesta etapa foi construída a capela e o prédio que abriga o Museu  e outros ambientes. A nova ala foi construída com outra técnica construtiva - alvenaria rebocada  e com adornos decorativos que lembram adornos do neoclássico com arcos românicos. Também lemos em textos, durante a pesquisa, sobre - a identificação desta parte como "mais moderna". A primeira ala tinha uma identidade mais definida - a partir de uma arquitetura construída na Alemanha - neste caso - tijolos à vista e o ecletismo presente nas mais variadas formas de janelas. A segunda ala, é algo feito a partir de recortes de períodos e que não se identifica com algum período.
Hamburgo - Alemanha - Tijolos à Vista e Telhado Mansarda - Arquitetura Backsteinexpressionismus.




Continuando...

A Capela foi idealizada e construída pelo Padre Antônio Enchelmeyer. Responsável também pelo projeto e construção do teatro. Em torno do ano de 1970 foram construídos campos, espaços esportivos e salão de jogos.
A última ala a ser projetada e construída foi o espaço usado para salas de aula, dormitórios dos seminaristas, refeitório e a cozinha. Espaços, estes que poderão seguir a tendência dos seminários no Brasil,  atualmente. Estão, a grande maioria  tornando-se áreas para hospedagens - área de hotelaria.
Década de 1970 - Foto de Eduardo Alencar de Azambuja.
As imagens comunicam...

Primeira Ala a partir do Jardim




Segunda Ala - Área restrita.

Cuidadosos com seus lares e quando necessários, barulhentos.


Coro da Capela.

Coro da capela.
Capela.

Capela.






















 Exposição de pequenas bonecas trajadas com trajes típicos de várias regiões - locadas no Museu.










 Rumo ao sótão...



Sótão.



A presença da Estrutura enxaimel no sótão



















Capela .





Capela .

No balcão do Coro olhando pela janela.








Detalhes dos Fundos da Ala 1.

A diferenças construtiva e de projeto das duas alas - 1 e 2






















Ao encontrar o Padre Otto Seidel tivemos a rara oportunidade de chegar até o sótão e observar alguns detalhes  construtivos arquitetônicos


Jardim interno.
Uma história dentro de um recorte de tempo feita por muitas mãos, com doações de outros estados e de famílias locais e que pertence a história local. Um joia arquitetônica e histórica que merece todo cuidado e critério quanto ao seu presente e seu futuro.
Um legado recebido a partir de grandes esforços, trabalho e sensibilidade.
Estivemos no Seminário de Corupá, porque cantamos, junto do Coro Martin Luther, na missa de finados - dia 2 de novembro, em sua Capela. Foi nossa última apresentação no Coro - não nos perdoaram a investigação no local, em nossa opinião, mais importante. Agradecemos a oportunidade.
Vídeo - Apresentação do Coro













































Em breve escreveremos sobre...
O Seminário do Caraça - Minas Gerais.
















9 comentários:

  1. Olá Angelina, tudo bem? Será que existe algum arquivo dos trabalhos desenvolvidos pelo padre Gabriel Lux? Ele projetou o prédio do Seminário de Azambuja, em Brusque, atual Museu Arquidiocesano de Azambuja. O projeto original se perdeu.
    Abraços
    Edu Gevaerd Neto - Brusque, SC

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Edu...Sim, quando pesquisava eu encontrei dados de seu trabalho de Brusque. Ele foi muito habilidoso ao confeccionar seus projetos e executar. Imagina o número de pavimentos desta obra, em alvenaria autoportante e com muita preocupação o o equilíbrio estético. Neste Seminário percebemos muito pouco do acervo. Infelizmente não saberia lhe responder. Teria que haver um trabalho de resgate. Imagina o que não deve ter guardado nas reentrâncias destas edificações maravilhosas. Se souber algo lhe comunico por aqui. abraços...

      Excluir
  2. Ola', Angelina. Que post incrível. Parabéns. Morando ha' 2 meses no estado de Santa Catarina, visitei o seminário. Sem saber o que iria encontrar, sem ter lido antecipadamente algo sobre o lugar. E com grande surpresa, eu me deparei com a fachada linda de tijolos aparentes. Fiquei intrigada com ela. Lendo e pesquisando sobre isso, estranhei os relatos sobre falta de recursos justificando seu revestimento. E lendo seu post, agora entendo melhor a construção e sua historia. Os tijolos aparentes e seu "rendilhado" fazem parte de um estilo típico alemão. Agradeco a generosidade de compartilhar isso. Parabéns pelo post e pelo blog. Luisa Demuth.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Luisa, seu retorno me encheu o coração de alegria. Por alguns motivos.
      O objetivo sendo alcançada, através das pontes que esta tecnologia (Comunicações) nos possibilita através do disseminar da história e do conhecimento do local para o mundo, a valorização do Patrimônio Histórico, a lembrança dos feitos dos imigrantes que chegaram à região e com seu trabalho, muito fizeram para sua identidade cultural – pouco lembrada, a valorização da arquitetura com lastro, o compartilhar, simplesmente, daquilo que nos traz muito prazer....Nós lhe somos imensamente gratos pelo retorno. Abraço fraterno.

      Excluir
  3. Ola
    Á alguns anos fizemos um acampamento de motorhomes,trailers,"grupo estradeiros do Pr " em frente. Ficamos maravilhados com o Seminário e o local. Parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
  4. Olá Angelina,
    Meu pai estudou neste seminário quando adolescente, lá pelos idos de 1945. Saberia me dizer se há dados históricos sobre a passagem dos estudantes daquela época? É que estou coletando o que posso sobre a vida de meu pai, já falecido, para escrever um livro sobre a família. Se quiser enviar alguma informação meu e-mail é claudiogirola@gmail.com. Muito obrigado e parabéns pelo trabalho. É magnífico.

    ResponderExcluir