segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Para conhecer a Tradição do Schützenverein e Momentos do 29° Schützenfest - Jaraguá do Sul

Apresentação do  Grupo Folclórico Bergfreude de Campinho - Domingos Martins, do estado do Espírito Santo.

Uma das tradicionais festas e igualmente, berço do despertar cultural em toda a região, principalmente nas cidades fundadas por imigrantes alemães a partir do Século XIX, é o Schützenfest que acontece, há 28 anos, na cidade de Jaraguá do Sul - estado de Santa Catarina.


Para ler sobre Jaraguá do sul - Clicar sobre: Jaraguá do Sul - Alguns momentos na cidade...
Seguimos para fazer algumas observações e registrar alguns momentos da Schützenfest - Jaraguá do sul no último dia 17 de novembro.
Schützenfest tem origem nas práticas do  Schützenverein - Sociedade do Tiro, lugar de lazer dos pioneiros alemães e de seus descendentes, até o momento presente em todas as cidades da região. No início da história local dentro das regiões (Vela do Itapocu e Vale do Itajaí), era a maneira da população masculina manter suas habilidades com as armas e, consequentemente, a segurança das cidades e povoações, pois muitos dos homens, pertencentes à famílias importantes da comunidade, também faziam parte do Batalhão de Caçadores (Jägers) - há registros históricos sobre essa prática, na Colônia Blumenau e não era diferente nas demais.
O termo "Caçador" não tem ligação com a prática da caça e nem tão pouco com mercenários como ouvimos. "Caçador" é um tipo de soldado de Cavalaria ou Infantaria rápida existente nas Forças Armadas não somente do Brasil, mas de alguns países, inclusive da Alemanha. Existiam vários tipos de Caçadores, como: caçadores à pé, à cavalo, de montanha e mais atual, paraquedistas.
O termo "Caçador" foi usado nos exércitos de países como: Portugal, Brasil, Alemanha, Áustria, França, Bélgica, Espanha, Argentina, Suécia e Romênia.
Antes de surgirem os "Caçadores", existiam em seu lugar, os arqueiros e besteiros medievais, que tanto usavam as suas armas na caça de animais em tempo de paz, como as usavam no combate, em tempo de guerra.
Nas Colônias alemãs do Brasil, também existiam os Jägers e esses frequentavam os Schützenverein's para se divertir praticando a pontaria. Eram muitas e ainda sãos muitas sociedades, e não vivem assim, por que "o alemão é teimoso e difícil", como já ouvimos inúmeras vezes, mas porque se organizam através de. Vimos isso nas cidades atuais da Alemanha atual. Basta existir uma atividade, praticada por duas pessoas, que existe um "estatuto", para organizar.

Para ler mais sobre Batalhão de Caçadores (Jägers) - Clicar sobre: Batalhão de Caçadores (Jägers) - Colônia Blumenau.
Voluntários do 55° Batalhão de Caçadores (Jägers) - Colônia Blumenau
O Schützenverein - História e Tradição

Os primeiros imigrantes alemães chegaram nas regiões do Vale do Itapocu e do Vale do Itajaí por volta de 1850 e com eles, surgiram algumas tradições adequadas ao local escolhido para morar, mantidas e readequadas, até o tempo presente. 
Essa migração foi consequência  da propaganda efetuada pelo governo brasileiro na Europa. Para estimular a vinda dos imigrantes europeus - principalmente  ex combatentes das guerra napoleônicas, foi desenvolvido intensa campanha propagandista. Lembramos também que os homens - nessa época -  na Europa faziam parte dos grupos de  "Jägers" e nem por isso eram contraventores. Já ouvimos historiadores chamarem parte desses imigrantes de mercenários. Ainda aprofundaremos essa pesquisa. 
Westfälisches Jäger-Bataillon N°7 -  Batalhão Sennelager - Alemanha 14 de junho de 1916

Batalhão de Caçadores (Jägers) - Rheinisches Jäger Bataillon - Reno


 Na segunda metade do Século XIX, o Brasil vivenciava as dificuldades de um país recém-declarado independente que buscava a sua consolidação política. Era necessário colonizar áreas no Sul do país, como também, preencher os grandes vazios demográficos nas regiões de fronteiras, as quais assegurariam a manutenção da integridade geográfica do Império.
Nesse contexto iniciou a chegada dos imigrantes alemães - como também aconteceu no início no Stadplatz de Blumenau e de Joinville.  
A ocupação e a transformação da região norte e nordeste do Estado de Santa Catarina, que adotaram a política de colônias foi trabalhosa e com muitos desafios a serem vencidos. Os primeiros imigrantes ocuparam um território desconhecido, sem muito apoio da administração da província, do governo brasileiro e desprovidos de qualquer infra-estrutura básica, além da limitação do idioma, pois não falavam português ou guarani, com raras exceções.

Os obstáculos, nos primeiros momentos, não os impediram de buscar alternativas de lazer e manutenção cultural familiar.
Por motivos históricos já mencionados referentes aos Grupos de "Caçadores" e ex combatentes das Guerras Napoleônicas, tinham familiaridade com as armas e suas práticas - usadas na defesa do território. Eram filhos e contemporâneos dos conflitos armados que deram forma a nova configuração geográfica europeia da época. Tinham habilidade no manuseio de armas e muitas de suas atividades de lazer envolviam as armas, como tiro ao alvo. 
Nos vales do Itajaí e do Itapocu (onde está localizada Jaraguá do Sul), os imigrantes trouxeram as práticas da sociedade de tiro - Schützenverein. Aqui, como na Alemanha atual, a tradição continua e ainda praticam as atividades do Schtzenverein. Não é algo exclusivo da região local do interior de Santa catarina e do Rio Grande do Sul - criado aqui, como alguns historiadores insistem defender. Encontramos Sociedades de Tiro - ou Schtzenverein na Alemanha, em algumas regiões, na atualidade.
Schützverein da cidade alemã de Niederalbertsdorf - 2016



Lembramos da característica do perfil social dos imigrantes e dos alemães de apreciar o convívio e lazer nas Sociedades e ao ar livre e não compreendido no Brasil sob a ótica da antropologia.
Schützenverein Blumenau com alguns de seus sócios
No Vale do Itajaí e no Vale do Itapocu,  por segurança - mediante os muitos conflitos com os nativos (que não foram considerados pelo governo brasileiro durante todo o processo de imigração), defesa de ataques de animais de grande porte que viviam na mata e a aquisição de alimentos, através de caças, os imigrantes alemães  treinavam a prática com as armas através de competições (essas trazidas de sua origem), tornando também esta prática, uma prática de lazer e de encontro social. Criaram a Sociedade de Tiro, conhecido como Schützenverein.






O Schützenverein foi o que melhor se adaptou ao meio, como modalidade de recreação e interação entre os imigrantes.
Schützengesellshaft Blumenau
Intitulada originalmente de Schützenverein Itoupava Alto, esta sociedade foi fundada em 1° de maio de 1894. É o oitavo clube mais antigo em atividade na região de Blumenau e está localizado na Rodovia Guilherme Jensen. 

Aos domingos e feriados, eram comuns as disputas de tiro que, praticadas ao ar livre, representavam um perigo à vizinhança.
Em Blumenau, no ano de 1859, após a doação de um espaço de terra de 2.500 m2 para a prática de tiro, foi criada a primeira sociedade recreativa - o Schützenverein Blumenau - atual Tabajara Tênis Clube. 
O Presidente da Província aprovou os estatutos do primeiro Schützenverein com algumas observações:
  • - O stand de tiro deveria estar localizado distante da vila e cercado, para evitar perigos ao transeuntes;
  • - Era proibida a presença de pessoas estranhas no local;
  • - Restringir o número de armas à 10 e as munições apenas ao necessário.
À partir de 1875 começaram a surgir outras Sociedades de Tiro, seguindo o primeiro modelo -Schützenverein Blumenau. Os núcleos urbanos dentro da grande Colônia de Blumenau eram distantes uns dos outros, o que muito contribuiu para o surgimento dos novas Sociedades ou Clubes. 
Rei e Rainha da Schützenfest - Jaraguá do Sul 2017
Na época, e mesmo até os dias atuais, um dos acontecimentos mais aguardados nas sedes das Sociedades de Tiro foi e é, os Schützenfest, a Festa do Rei.
A festa era realizada uma vez ao ano, geralmente no mês de maio e durava durava três dias.
O primeiro dia era reservado ao festejo religioso, o segundo dia era de competições de tiro, aonde os atiradores se reuniam para dar início ao desfile e seguir conforme a programação. Neste dia, como ainda acontece hoje, valiam os prêmios de "rei do alvo" e "rei do pássaro".
No terceiro dia, após a finalização do "tiro ao pássaro" e a entrega da bandeira da Sociedade, acontecia a proclamação dos vencedores do tiro de "rei do alvo" e "rei do pássaro" e seus cavalheiros que eram os classificados a partir da colocações: em segundo e terceiro lugar com melhor tiro. 
Após, o início do grande baile social.
Passados, os anos, além da festa do Rei, as sociedades atuais adotaram também a escolha da Rainha.
Formalmente e historicamente - em séculos passados - com raras exceções, no ocidente, não havia a presença das mulheres no meio militar e de guerra. Isso Explica o fato de aclamar o Rei entre os melhores atiradores de uma Sociedade de Tiro. A Alemanha adotou como seu período histórico nacional - o período medieval, onde uma das característica muito forte é a estruturação social a partir do sistema feudal, no qual o Rei, junto com a igreja, ocupava o lugar mais alto e depois, quem o cercava - a nobreza, justificando o título do campeão do tiro de uma sociedade.

Schützenfest - Jaraguá do Sul

A cidade de Jaraguá do Sul, localizada na região do Vale do Itapocu, e que tem forte tradição e herança cultural dos imigrantes alemães que a fundaram, resgatou e homenageou essa prática comum em 1989 quando fez sua Schützenfest. De 1989 até a presente data, todo ano organizou e organiza a grande Festa do Rei e também, da Rainha, na escala da cidade, com o apoio de todas  as Schützenverein - Sociedades de Tiro. A 1° Schützenfest de Jaraguá do Sul - 1989 - foi criada 5 anos após a existência do 1° Oktoberfest Blumenau. 
As festas de outubro são o berço natural, onde ocorre o renascer de uma cultura que ficou "muda" por algumas décadas, resgatando a autoestima de algumas gerações e sua cultura - resquícios do Bullyng oficial implementado pelos governos Vargas e Ramos - federal e estadual respectivamente, conhecido pelo período de  Nacionalismo - tema sobre o qual já escrevemos nesse espaço.
Getúlio Vargas, o interventor de Santa Catarina Nereu  Ramos, militares e programação cívica em Blumenau - 1940

Para ler sobre o Nacionalismo - Clicar sobre: Nacionalismo no Vale do Itajaí - a partir do Governo de Getúlio Vargas

As festas de outubro e também de novembro tem um papel importante para todas essas comunidades, que aos pouco foram retirando sua cultura dos "baus" sem medos e com alegria.
Jaraguá do Sul criou sua Schützenfest em 1989 no mês de outubro. Atualmente é festejada no mês de novembro, onde as pessoas podem visitar outras festas de outubro e também, podem visitar a grande Festa do Rei - Schützenfest de Jaraguá do Sul, como nós o fizemos.
O mascote da festa, a exemplo do Vovô e Vovó Chopão do Oktoberfest Blumenau, é o Wilfred. 
Grupo Folclórico  Bergfreude de Campinho - dançando novamente
No último dia 17 fomos à cidades de Jaraguá do Sul registrar os momentos do Schitzenfest, através de imagens, pois elas comunicam.
Um momento de emoção foi a apresentação do  Grupo Folclórico  Bergfreude de Campinho - Domingos Martins, do estado do Espírito Santo. 
A apresentação foi a primeira, após uma fatalidade que levou nove, de seus integrantes, quando retornavam de uma apresentação no interior de Minas Gerais. Não entraremos em maiores detalhes, pois a dança deve recomeçar, como fez o grupo na noite do Schützenfest
Solidarizamo-nos nos momentos, com amigos e familiares, simultaneamente os felicitamos pela bela, respeitosa, saudosa e importante apresentação no tablado do Schützenfest de Jaraguá do Sul.
 As imagens comunicam - Schützenfest 2017











































































































































































Vídeo - Die Brandl








































Apresentação do  Grupo Folclórico  Bergfreude de Campinho - Espírito Santo































































Videos apresentações




Marcha do Rei e Rainha do Tiro














































Lindo palco das tradições, das práticas culturais, da amizade, da solidariedade e da esperança! 
Linda Schützenfest, a Festa das festas do Rei e da Rainha. 
Que o renascimento sempre se faça presente no presente! 
Abraços aos amigos de Domingos Martins!




























































Nenhum comentário:

Postar um comentário