terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

Falso enxaimel sobre a Praça Victor Konder - Junto a Prefeitura de Blumenau? Que também é cenário.

Mais uma vez, a partir do desconhecimento, vai se construir uma edificação Fake sobre uma praça de Blumenau  - a Praça Victor Konder - ao lado de outra edificação Fake - o edifício da Prefeitura Municipal de Blumenau, que para existir,  foi necessário demolir a primeira estação ferroviária da EFSC, original e uma das mais importantes da história da cidade e de toda a região do Vale do Itajaí, inaugurada no primeiro trecho da ferrovia Estrada de Ferro Santa Catarina EFSC (em 3 de maio de 1909) e construída originalmente com estrutura enxaimel. 
Enquanto se especula a construção sobre a praça, outras tipologias de valor histórico, pertencentes ao patrimônio histórico de Blumenau e de Santa Catarina, vem sendo, sistematicamente  demolidas, ou, estão à mercê de intempéries e ausência de manutenção. Estas, dotados de lastro histórico, originalidade e valor arquitetônico.
Casarão de Itoupavazinha localizado na rodovia Frederico Jensen, antiga estrada que ligava o Vale do Itoupava ao Vale do Testo - conhecida como Estrada da Cachaça, ou como era chamada no final do século XIX e início do século XX: Schnapsstrasse - link no final desta postagem.
Estação Ferroviária de Blumenau (Link no Final desta postagem)
Construção da primeira estação ferroviária de Blumenau - 1908.
Técnica construtiva: Enxaimel - 
Do livro - A Ferrovia no Vale do Itajaí - Estrada de Ferro Santa Catarina.

Como acontecia nas primeiras décadas de existência da Colônia Blumenau, também a primeira estação ferroviária da EFSC de Blumenau foi construída com a técnica enxaimel - como ilustra a fotografia acima. 
Para relembrar, o método construtivo enxaimel é a denominação dada a uma especial construção da edificação a partir da estrutura de madeira que articulada horizontal, vertical e inclinadas formam um conjunto rígido, acabado, pronto para receber a cobertura e vedações ou fechamento (paredes). A técnica era e é feita, a partir do encaixe dos caibros de madeira, sem o uso de pregos. Quanto a estação ferroviária em questão, sua tipologia é composta com base na integração de vários volumes e diferentes inclinações do telhado, dando-lhe movimento em suas fachadas, e seus espaços foram distribuídos em dois pavimentos, com aproveitamento do sótão. O fechamento foi feito em tijolos maciços, reboco e caiação branca. A estrutura do telhado também executada em madeira - material abundante na região - com telhas planas, do tipo germânico, de barro cozido. As aberturas foram feitas em madeira com janelas de folhas almofadadas com vidro. Há a presença de sacadas superiores com balaústres feitas a partir de tábuas de madeiras recortadas, como era usual na Colônia Blumenau, na época. O pavimento térreo central é fechado com paredes autoportantes, executado com tijolos maciços.
Estação acabada com fechamentos em tijolos rebocados. Detalhes para os panos de telhados cobertos com telhas planas ou germânicas Do livro - A Ferrovia no Vale do Itajaí - Estrada de Ferro Santa Catarina.
Assim que foi inaugurado o novo trecho ferroviário de Blumenau à Itajaí - estação de Blumenau deixou de ter sua importância para aquilo que fora construída. Foi desativada de seu propósito no ano de 1954 - data dinauguração do trecho Blumenau à Itajaí. A partir de 1954 passou a ser usada como escritório da EFSC e foi demolida em 1974 - 20 anos após deixar de ser a Estação Ferroviária de Blumenau - da EFSC - Uma obra de arte
No terreno da primeira estação foi construída a nova sede da Prefeitura Municipal de Blumenau, com uma "arquitetura cênica" a partir d"estampa", em suas fachadas, do cenário do que seria uma edificação enxaimel. Este cenário foi construído a partir de fixação de ripas de madeira em sua fachada, lembrando uma edificação construída com a técnica enxaimel, como era, originalmente, a primeira estação ferroviária de Blumenau.
Prefeitura M. de Blumenau - situada no local da antiga estação ferroviária - Pseudo enxaimel a partir da colagem de ripas nas fachadas - No seu Jardim  - uma das primeiras máquinas da ferrovia EFSC - Macuca - à mercê das intempéries.



Linda arquitetura que foi retirada da paisagem e atualmente - pretendem construir sua réplica cênica para uso comercial, sob concessão de 30 anos - faturando em cima de um espaço público. Desrespeito à praça, à história e à cidade, que tem um número considerável de tipologias pertencentes ao patrimônio histórico de fato e que, muitas vezes se encontram sob o descaso e muito pouco espaços públicos.
Foto do Grupo Blumenau  Antigamente.

Equívocos que constrangem e envergonham. Enxaimel Não é Estilo!!!!

Lembramos que esta iniciativa da administração pública de emitir concessão para o setor privado, sob parceria, no espaço de uma praça pública, não é inédito na cidade de Blumenau. Aconteceu coisa semelhante em 1995, sob a iniciativa do Secretário de Turismo de Blumenau da época, Norbert Mette que construiu uma fábrica de cerveja sobre a Praça Hercílio Luz, antiga Praça do Porto Fluvial, região que apresentava o zoneamento impróprio e que foi alterado para que a ação fosse materializada. A fábrica não vingou e atualmente funciona na edificação, um Restaurante, que também adquiriu a concessão. Esta edificação não apresenta a arquitetura vulgar como esta, de 2021 - proposta a ser construída sobre a praça localizada ao lado da prefeitura. Mas, bloqueou uma das vistas mais lindas - para contemplação do Rio Itajaí Açu - curva do rio, junto à histórica foz do Ribeirão Garcia e que também, foi construída em APP - Área de Preservação Permanente. Link disponível no final desta postagem.






A Praça Victor Konder e um estabelecimento comercial sobre
Edifício com ripas coladas nas paredes de alvenaria.

A Praça Victor Konder que, com o aval da administração pública de Blumenau, receberá uma edificação sobre si, não apresenta uma  área grande e possui em seu espaço público,  árvores e equipamentos. 


Esta construção na praça é um Erro sob vários aspectos. A Praça Victor Konder, que apresenta um área inferior a 2 mil metros quadrados, é um espaço público. Blumenau tem pouquíssimos espaços públicos, por vários motivos e resultado de políticas públicas equivocadas. A edificação:  proposta para ocupar a praça pública é Fake, ou seja, cênica e que passa a falsa ilusão de que ali estava a histórica estação ferroviária de Blumenau demolida em 1974. Sugerimos ler o artigo (página 44) parte do livro publicado em fevereiro de 2021 sob o título: Patrimônio Arquitetônico - Debates Contemporâneos. Link no final desta postagem.

A técnica construtiva enxaimel “chegou” ao Brasil pelas mãos dos imigrantes alemães em diferentes regiões, e nestas adquiriu a forma adequada a um conjunto de elementos inerente e característico a cada espaço e à sociedade que nele vive dentro de um recorte de tempo.
Com a presença do pesquisador Vilmar Vidor na cidade de Blumenau, houve o início da pesquisa pioneira sobre o enxaimel, nunca vista antes no País, a qual norteou outras semelhantes em outras regiões com a presença desta arquitetura. Dentro da escola de arquitetura fundada por Vidor na cidade, surgiu também a pesquisa que opunha este cenário fake mencionado por pesquisadores que desconhecem e defendem a existência do neoenxaimel, como algo isolado e fruto de um processo único, desconsiderando o trabalho de pesquisa pioneiro. Ao contrário da expressão surgida na década de 1980 - pseudoenxaimel ou enxaimelóide que se opunha à forma de construir e partia de cenários e imitações visuais destoantes da originalidade da arquitetura do pioneiro a partir da técnica construtiva enxaimel, a expressão recentemente adotada - neoenxaimel, mais parece uma especulação que pode tomar diferentes formas, dependendo da intenção daquele que a usa oportunisticamente.
Pode ser usada de maneira paliativa ou não, demarcando algo que difere da originalidade da técnica construtiva em madeira, ainda muito atual e contemporânea na Alemanha, utilizando tecnologias e materiais de ponta. Vamos falar sobre isso, no 27° Congresso Internacional dos Arquitetos, em 2021, no Rio de Janeiro.
Ressaltemos a definição estética de Veiga 2014 para a edificação, com técnica construtiva diferente do enxaimel que recebe o decorativismo, para que de alguma maneira lembre a sua originalidade, como Kitsch.
“Preservar a herança cultural da cidade é uma intenção louvável, mas fantasiar os prédios com roupas típicas não parece ser a maneira mais adequada de fazê-lo. Melhor seria que se dirigisse os esforços para a preservação das construções originais dos imigrantes.” VIDOR (1983).
                              Do livro: Patrimônio Arquitetônico - Debates Contemporâneos

 O Projeto da Praça - Segundo Pancho

De acordo com a coluna de Pancho, em 21 de dezembro de 2020 o projeto é um réplica da  primeira estação ferroviária de Blumenau que deverá abrigar uma cervejaria e uma cafeteria. A Prefeitura  licitou o espaço, através de uma comissão
O projeto da réplica da estação histórica de Blumenau (Que de fato era construído com estrutura enxaimel e foi demolida em 1974 para a construção Fake da Prefeitura Municipal de Blumenau) deverá ser executado pela empresa vencedora da licitação. Será instalado um café/choperia. A locomotiva Macuca, que hoje está em frente à Prefeitura Municipal de Blumenau - ao tempo, também será transferida para o novo local - ainda ao tempo. 

"Esta é a segunda vez que a prefeitura tenta conceder o espaço para a iniciativa privada. Na primeira não houve interessados. Mudanças no edital tornaram o negócio mais atraente e agora duas empresas mostraram interesse na concessão." Pancho

O prazo da concessão é de 30 anos e o valor mínimo estipulado pelo aluguel, é de R$ 8,5 mil. 



E as árvores?





Que cidade estamos deixando às futuras gerações? 
Um registro para a História.
--------------------------------------------------------
23 de Novembro de 2021
Coluna do Pancho
As Árvores?
Mais de 20 árvores são cortadas na Praça Victor Konder para dar lugar a empreendimento turístico 

Comentário: Espaço público e arborizado - Assim era. O que fez o legislativo?
Para ler a Matéria - original Clicar sobre: Pancho - Novembro de 2021

"Mesmo com os tapumes, chama a atenção de quem passa pela Praça Victor Konder, ao lado da prefeitura de Blumenau, a quantidade de árvores que foram retiradas do local. No total, 21 foram cortadas para dar lugar à Praça da Estação, empreendimento turístico que será erguido em espaço concedido pela prefeitura à empresa Insight Engenharia.
Segundo um dos sócios da empresa, o processo de licitação para a concessão do espaço já previa o corte de 17 árvores para a ocupação de um determinado espaço. Outras quatro foram cortadas porque a empresa vai aproveitar a área máxima permitida pelo contrato de concessão.
O corte teve autorização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) e foi acompanhado, segundo a empresa, por integrantes da Associação Catarinense de Preservação da Natureza (Acaprena). Técnicos da Semmas fizeram uma vistoria e comprovaram que o serviço foi executado de acordo com a licença concedida.
A maior parte das árvores cortadas não era nativa ou estava condenada. No local restaram cinco das grandes árvores." Pancho

Não justifica! 

Terreno está sendo preparado para receber a Praça da Estação. Foto: Pancho


















"Uma das árvores condenadas era uma grande figueira que ficava ao lado do quiosque usado pela Polícia Militar. Só a raiz da árvore pesava quatro toneladas e exigiu mais trabalho do que estava previsto.
Os empresários também pediram que a nova figueira, plantada anos atrás em frente ao acesso principal da prefeitura, fosse transplantada para um local mais adequado, mas o pedido foi negado. O temor é de que, em alguns anos, a raiz da planta possa quebrar o piso da praça. E ela está na área concedida.

Compensações

A autorização de corte foi concedida com a condição de que a Insight plante 50 novas árvores na cidade. Seis serão plantadas na própria praça, em locais definidos pelo projeto de arborização do empreendimento. Quatro serão plantadas no entorno da prefeitura." Pancho
Foto: Pancho


















"As outras 40 serão plantadas em local a ser definido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas). Além de plantar, a empresa terá que monitorar as mudas por dois anos para garantir que elas cresçam e floresçam.

Obra

O terreno do espaço concedido da praça, hoje cercado por tapumes, está praticamente pronto para receber a construção. Para obter a autorização de obra falta um parecer jurídico da Procuradoria do Município. Uma vez concedido o parecer, os trabalhos poderão começar.
A Praça da Estação será um empreendimento cuja atração principal será a construção de uma cópia da estação de trem que até a década de 1970 ficava no terreno que hoje é ocupado pela prefeitura. Nessa construção funcionará um restaurante, cafeteria, choperia e loja de souvenirs.
A Macuca, locomotiva que hoje está em frente à prefeitura, será restaurada e levada para um espaço em frente ao novo empreendimento. " Pancho

PANCHO. Prefeitura de Blumenau lança concorrência para conceder praças do Centro à iniciativa privada. 01/09/2020. Disponível em: https://pancho.com.br/prefeitura-de-blumenau-lanca-concorrencia-para-conceder-pracas-do-centro-a-iniciativa-privada/. Acessado em: 23/02/2021 - 00:25h.

PANCHO. Cervejaria e empresa de engenharia disputam concessão de praça que fica junto à prefeitura de Blumenau. 21/12/202. Disponível em: https://pancho.com.br/cervejaria-e-empresa-de-engenharia-disputam-cencessao-de-praca-que-fica-junto-a-prefeitura-de-blumenau/. Acessado em: 22/02/2021 - 23:08h.

WITTMANN, Angelina C.R.. Do livro Patrimônio Arquitetônico - Debates Contemporâneos - Artigo - Neoenxaimel - Pseudoenxaimel e Enxaimel (Atual) - Página 44. Organizadores: Adalberto Vilela, Alessandro Alves, Andriele da Silva Panosso, Douglas Orestes Franzen. – Itapiranga : Schreiben, 2021. 276 p.: il.; e-book E-book no formato PDF. EISBN: 978-65-993519-2-1. Disponível em: https://drive.google.com/drive/u/0/my-drive. Acesso em 23/02/2021 - 00:02h.

--------------------------------------------------------
20 de fevereiro de  2022





Em Construção e sob Revisão....










Nenhum comentário:

Postar um comentário